O primeiro dia sem nenhum novo contágio local de coronavírus na China

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Se vocês se sentirem como eminências, estarão fora do caminho”. As palavras do Papa Francisco aos novos cardeais quando também condenou a corrupção na Igreja

    LER MAIS
  • Como viver o Advento em tempos de quarentena

    LER MAIS
  • A vacina vai nos ajudar, mas não vai nos livrar das pandemias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Março 2020

País registra 34 novos casos importados, a maioria em Pequim, que impõe rigorosas quarentenas aos viajantes.

A reportagem é de Macarena Vidal Liy, publicada por El País, 19-03-2020.

A China despertou nesta quinta-feira com a notícia que esperava desde o começo da pandemia da Covid-19. Pela primeira vez desde que foi reconhecida a transmissão entre indivíduos, em janeiro, a Comissão Nacional de Saúde não detectou nenhum caso de contágio comunitário em Wuhan, o foco original da doença, nem no resto do país. A contrapartida é que aumentam as novas infecções importadas, 34, das quais 21 detectadas em Pequim.

Segundo esses dados oficiais, na quarta-feira morreram oito pessoas em todo o país por causa do coronavírus, o que eleva o total de mortes na China a 3.245 desde o começo da epidemia em dezembro. Ao total se contagiaram desde então 80.928 pessoas, das quais 70.420 se recuperaram.

Desde que o número de contágios comunitários se reduziu à cifra de dois dígitos, e à medida que foi se elevando o número de casos no resto do mundo, a China foi pondo o foco em evitar novas infecções que possam desatar uma segunda onda da epidemia. Preocupam-na os casos importados, que estão crescendo.

Numa situação totalmente contrária à de dois meses atrás, quando eram outros países que tomavam medidas para se protegerem de possíveis contágios importados, a China impôs drásticas normas de quarentena para quem chega do exterior. Pequim, a capital e sede das instituições de Governo, e um dos principais pontos de entrada no território, encontra-se entre as zonas que adotaram práticas mais rígidas – as quais foram sendo endurecidas em intervalos de poucos dias, sendo a última leva de medidas na quinta-feira.

Pequim exige que todos os viajantes procedentes do exterior se submetam a uma quarentena de 14 dias em hotéis designados pelas autoridades. As únicas exceções são os menores de 14 anos ou maiores de 70, as grávidas ou indivíduos com doenças que desaconselhem passar o isolamento nestes lugares. Estes poderão completá-lo em seus lares.

Mas a partir desta quinta-feira já não será possível, como até agora, passar o confinamento no domicílio próprio se a pessoa viver sozinha. Quem cumprir algum dos requisitos para o isolamento domiciliar deverá, antes de viajar, entrar em contato com o seu comitê de bairro e apresentar a documentação justificante, para receber uma autorização. Sem isso, não será possível confinamento na própria residência.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O primeiro dia sem nenhum novo contágio local de coronavírus na China - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV