Positivo um bispo francês: havia sido recebido pelo papa

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “A população de rua é um sintoma da necrofilia que vai matando nosso povo”. Entrevista com o Padre Júlio Lancelotti

    LER MAIS
  • Saúde mental, a eterna “loucura” do capitalismo. Artigo de Eduardo Camín

    LER MAIS
  • Ecologia sem transição, coletivo francês defende ruptura ecológica total

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Março 2020

A foto é da segunda-feira passada, 9 de março: o papa Francisco é visto, no segundo andar do palácio, diante de trinta e um bispos franceses espalhados na sala do consistório, as cadeiras a uma distância de segurança uma da outra. Foi a última audiência de grupo do pontífice, e está claro por que elas foram suspensas desde então: a diocese de Angers confirmou hoje que seu bispo, D. Emmanuel Delmas, 65 anos, um dos que participaram daquela visita ao Papa, resultou positivo para o Coronavírus e manifestou os primeiros sintomas "durante sua estadia em Roma" na semana passada.

Do Vaticano, tranquiliza-se: Francisco está bem, superou o resfriado que sofreu na quarta-feira de cinzas "sem sintomas atribuíveis a outras patologias" e, aliás, no domingo apareceu em boa forma, enquanto caminhava na Via del Corso em sua peregrinação entre Santa Maria Maggiore e San Marcello para invocar em oração o fim da pandemia na Itália e no mundo. Considerando as precauções usadas durante os encontros" e a ausência de sintomas de qualquer tipo", no Vaticano explicam que a situação está sendo mantida sob controle e, atualmente, não há necessidade de outras medidas, ou seja, fazer um teste de controle com swab no Papa.

Foto: Il Sismografo

A reportagem é de Gian Guido Vecchi, publicada em Corriere della Sera, 16-03-2020. A tradução é de Luisa Rabolini.

Primeiros sintomas

Os bispos franceses estavam fazendo uma das visitas "ad limina" que os episcopados de todo o mundo fazem a cada cinco anos. O primeiro grupo, recebido em 9 de março, foi o das províncias ocidentais de Rouen, Rennes, Poitiers, Tours e Bordeaux. No final, o papa apertou as mãos de "alguns" deles, embora o Vaticano explique que todos os procedimentos de higiene – começando com a lavagem das mãos, antes e depois – foram observados.

Todos os bispos franceses do primeiro grupo, no entanto, por óbvia precaução, se colocaram em isolamento. D. Delmas, que é formado em medicina e filho de médico "está levemente gripado e seu estado atual não é preocupante", tranquiliza a diocese.

O bispo de Angers teve os primeiros sintomas na terça-feira 10 ou quarta-feira 11, de acordo com reportagens do jornal católico La Croix.

Considerado o período de incubação, é provável que ele tenha sido infectado antes de chegar a Roma. O segundo e o terceiro grupo de bispos franceses seriam recebidos de 16 a 20 e de 23 a 27 de março, mas, após o primeiro, todas as audiências de grupo foram suspensas "por causa da epidemia de coronavírus e das recentes medidas restritivas impostas pelo governo do estado italiano», como informava em 10 de março um comunicado “urgente” assinado pelo cardeal Marc Ouellet, prefeito da Congregação para os bispos.

Proteger o Papa

A decisão de suspender as audiências estava no ar. Trata-se de proteger Francisco, 83 anos: o papa fica em Santa Marta e reduziu ao mínimo os contatos e audiências ao estrito necessário, principalmente conversas individuais com os chefes dos dicastérios da Cúria.

Também o Papa Emérito Bento XVI, 92 anos, permanece protegido no mosteiro Mater Ecclesiae sem receber visitas do exterior.

Já em 8 de março, Francisco começou a rezar o Angelus em streaming, da biblioteca do palácio apostólico (“caros irmãos e irmãs, é um tanto estranha esta oração hoje, com o Papa ‘engaiolado’ na biblioteca, mas eu vejo vocês e estou perto de vocês”, disse com um sorriso) e o mesmo para as audiências das quarta-feira.

A partir de 9 de março, o Papa também começou a celebrar as missas em Santa Marta sem fiéis e determinou que fossem transmitidas ao vivo. O mesmo acontecerá com os ritos da Semana Santa da Páscoa.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Positivo um bispo francês: havia sido recebido pelo papa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV