Quanto realmente custa nos EUA um teste para o coronavírus?

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Pedro, alguém que nos fez acreditar na grandeza de sermos Rede

    LER MAIS
  • Pedro Casaldáliga, presente!

    LER MAIS
  • As mulheres e o futuro da Igreja. Artigo de Joseph Moingt

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Março 2020

Nos Estados Unidos os custos de um teste para descobrir se um paciente está em risco de coronavírus são altamente variáveis e ainda exorbitantes. De acordo com o MarketWatch, podem variar entre US $ 1.000 e US $ 4.000, conforme o caso. O sistema de saúde dos EUA é privado e muitos estadunidenses abrem mão da assistência de saúde porque consideram em não poder arcar com o custo. No caso da disseminação do coronavírus, isso representa um problema adicional para diminuir a velocidade e impedir a propagação do vírus.

A reportagem é publicada por AGI – Agenzia Giornalistica Italia, 09-03-2020. A tradução é de Luisa Rabolini.

As autoridades de saúde pública dos EUA, que deram o alarme pedindo aos cidadãos dos EUA que se preparem para a disseminação do coronavírus, agora também estão se questionando sobre o problema dos custos e, portanto, se perguntam se os cidadãos dos EUA terão dinheiro suficiente para serem testados e tratados.

No mundo todo, mais de 95.000 casos confirmados de coronavírus e mais de 3.200 mortes foram relatados, enquanto nos Estados Unidos, 11 pessoas morreram, incluindo 10 no estado de Washington e uma na Califórnia, e há mais de 150 casos confirmados, dos quais 54 na Califórnia, o que levou Gavin Newsom, o governador democrático desse estado, a seguir o de Washington ao declarar estado de emergência.

Os altos custos geralmente impedem de procurar assistência médica

"Se alguém estiver doente, deveria interagir com o sistema médico", disse Jean Kates, vice-presidente sênior e diretor de políticas globais de saúde e HIV da Kaiser Family Foundation. E nós queremos que as pessoas que deveriam procurar ajuda não deixem de fazê-lo porque estão preocupadas com os custos". O problema de custo nos EUA é quase tão preocupante quanto a propagação da doença. Em Miami, um homem que foi testado após uma viagem de negócios à China, segundo o MarketWatch, acabou tendo que pagar 3.270 dólares de gastos hospitalares.

Outro homem da Pensilvânia criou a página GoFundMe na Internet para pedir ajuda para pagar US$ 3.918 de contas que acabou recebendo de surpresa após ser evacuado da China e colocado em quarentena com sua filha de três anos. Tyler Prochazka, um professor de 27 anos que foi para Xangai em meados de janeiro, foi testado em um hospital do Kansas para o coronavírus e outras doenças e recebeu uma fatura de US $ 983 poucas semanas depois.

"Minha primeira reação foi de incredulidade", disse Prochazka, explicando que, no caso dele, a enfermeira que havia passado o swab no seu nariz havia garantido que a coleta teria sido enviada ao CdC, ao Centro de Prevenção e controle de doenças (o organismo que nos EUA tem a tarefa de prevenir e sugerir as intervenções mais apropriadas em caso de contágio generalizadas e epidemias), que cobriria os custos do teste. Isso, porém, não aconteceu, explica Prochazka.

Hospitais obrigados a cobrar

Atualmente, os testes nos EUA são realizados em hospitais, obrigados a cobrar de alguém, ou seja, do paciente ou do seu seguro. O primeiro caso de coronavírus nos Estados Unidos foi relatado no final de janeiro e, até o final de fevereiro, os CdCs realizavam testes apenas em seus próprios laboratórios. Até agora, explica Kates, o CdC cobriu os custos do teste para muitas pessoas, mas isso não aconteceu no teste de Prochazka e nos de outros pacientes que revelaram ter recebido faturas elevadas em casa, nas quais foram cobrados também outros custos associados à entrada no hospital ou à quarentena.

No futuro, explica Kates, os testes continuarão sendo realizados em hospitais, que solicitarão a cobrança a um plano de saúde. Então, quanto custará aos pacientes fazer o teste de coronavírus? "Vai depender se eles tiverem ou não plano de saúde e do tipo de cobertura que tiverem - ele acrescenta - Poderiam ter que arcar com os custos de um ambulatório médico, de um ambulatório do hospital ou de uma sala de pronto socorro, o que será um grande problema para aqueles que não são segurados ou têm um plano com baixa cobertura". O CdC, quando questionado, preferiu não comentar.

As coberturas Medicare e Medicaid

A agência que gerencia o Medicare e o Medicaid (os órgãos públicos que gerenciam o sistema de seguro de saúde dos EUA) recentemente criou um novo código de cobrança que permitirá aos operadores de saúde cobrarem o teste de laboratório de coronavírus. O preço do teste ainda não foi definido, explicou um porta-voz do CdC, ao MarketWatch. Para pacientes Medicaid, os testes de diagnóstico são um serviço opcional. Caberá aos estados individuais cobrir ou não o teste, acrescentou a porta-voz.

O novo código de cobrança, explica Caitlin Donovan, porta-voz da National Patient Advocate Foundation, uma organização sem fins lucrativos que busca um acesso adequado a cuidados médicos de qualidade, representa um desenvolvimento positivo, porque acabará ajudando a padronizar o preço dos testes.

Estados de Nova York e Washington negociam com os planos de saúde

O estado de Nova York informa que obrigará as seguradoras a pagar pelos testes. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou na segunda-feira que está promulgando uma diretiva "exigindo que as seguradoras de saúde de Nova York desistam do compartilhamento dos custos associado aos testes para o coronavírus, incluindo pronto-socorro, atendimento de urgência e visitas a consultórios".

No estado de Washington, a autoridade federal de saúde informou que está colaborando com as seguradoras para os funcionários públicos e beneficiários do Medicaid para garantir que tanto os testes como os tratamentos sejam cobertos "quando considerados necessários por um profissional de saúde". "Ninguém deveria hesitar em procurar tratamento para o Covid-19 durante essa emergência de saúde pública devido a preocupações com os custos", declarou Kristine Grow, porta-voz da Ahip, uma associação que reúne grupos de seguros.

Cuidados dos não segurados pagos pelos contribuintes?

Quanto aos custos dos tratamentos para o tratamento do Covid-19, de acordo com o Wall Street Journal, o governo Trump divulgou que está explorando a possibilidade de usar o dinheiro dos contribuintes, ou seja, o dinheiro público, para pagar pelo tratamento de pacientes sem plano de saúde infectados com o coronavírus. "Também existe - explica Kates - um estatuto federal da saúde pública que permite ao CdC autorizar o pagamento pela assistência e tratamento de indivíduos em quarentena, isolamento e liberação condicional". Essa medida, no entanto, "exigiria a autorização do CdC e, muito provavelmente, verbas adicionais do Congresso", acrescenta Kates.

Como reduzir os custos para os testes do coronavírus

Primeiro é preciso ter claro que as seguradoras geralmente cobrem o teste somente se as investigações forem consideradas clinicamente necessárias, o que geralmente significa que um médico deve recomendá-las. "Portanto, deve-se sempre procurar um médico primeiro", explica Donovan. O primeiro passo para iniciar o processo de teste de acordo com o Cdc é chamar o médico se a pessoa acredita que tem sintomas de coronavírus ou se entrou em contato com alguém que tem o vírus ou se viajou para uma área com "difusão em curso" do vírus.

"Sabe-se que as seguradoras negam pedidos de atendimentos de emergência que consideram frívolos", explica Donovan. Outra razão pela qual uma consulta no hospital deveria ser o último recurso para aqueles que decidem procurar assistência é que ela é significativamente mais cara que uma consulta médica. O custo médio de uma visita ao Pronto Socorro em 2017, de acordo com dados do Instituto de Saúde, era de US $ 1.389, um aumento de 176% em relação a 10 anos antes. Donovan também faz questão que as pessoas saibam que, independentemente do motivo pelo qual os pacientes procuram um hospital, a maioria deles é cobrada por uma "taxa para as instalações" que é paga apenas por ter ultrapassado a porta de entrada.

Além disso, o CdC recomenda que os hospitais tratem pacientes potenciais de coronavírus em salas isoladas e utilizem outras precauções especiais. E ainda não está claro se os pacientes serão cobrados por esses custos adicionais. E novamente: sempre que se realizam testes de laboratório, é importante verificar primeiro se o laboratório e seus técnicos estão "em rede", o que significa se eles são cobertos pelo plano de saúde. Caso contrário, você poderá receber uma conta médica surpresa - mesmo que seu médico tenha recomendado o teste.

"Temos o sistema de saúde mais imprevisível e caro do mundo - diz Donovan - e injetar o caos de uma epidemia dentro dele significa expô-lo a todas as fraquezas e todo tipo de falibilidade".

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Quanto realmente custa nos EUA um teste para o coronavírus? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV