Chile. “Além de mudanças de bispos, precisamos de uma mudança de estilo na Igreja”, pede padre jesuíta

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Vaticano, roubadas da igreja estátuas indígenas consideradas “pagãs” e jogadas no Tibre

    LER MAIS
  • A peleja religiosa. Artigo de José de Souza Martins

    LER MAIS
  • Começa a hora da decisão para os bispos da Amazônia na semana final do Sínodo. Artigo de Thomas Reese

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Maio 2018

O padre jesuíta Felipe Berríos conversou com Tele13 Radio sobre o encontro das vítimas de abusos sexuais com o Papa no Vaticano e sobre o futuro da Igreja Católica.

A reportagem é publicada por Tele13 Radio, 30-04-2018. A tradução é de André Langer.

O Papa Francisco teve, nesta segunda-feira, um encontro grupal com as vítimas do ex-pároco de El Bosque, Fernando Karadima, que vem coroar os encontros individuais e a sós que teve com eles desde sexta-feira, 27 de abril.

Agora, espera-se o encontro dos bispos chilenos com o Papa, o que deverá acontecer em meados de maio, que deve ser a antessala de anúncios depois do “perdão” expressado pelo Pontífice, que reconheceu “graves erros” de “avaliação” no caso do bispo de Osorno, Juan Barros, acusado de acobertar Karadima.

O que está por vir agora para a Igreja Chilena? O padre Felipe Berríos, de Antofagasta, conversou com Tele13 Radio sobre esse assunto.

“Este foi um gesto muito importante em que o Papa está se comprometendo cada vez mais e que esses gestos serão acompanhados de uma mudança correspondente. É um gesto sem precedentes: convidar as vítimas para um longo tempo – não apenas para a foto, mas por um longo tempo –, para conversar longamente com elas, como convidados especiais do Papa, com suas famílias, em alguns casos”, declarou Berríos em Conexión Tele13.

O padre disse que, embora os denunciantes se representem a si mesmos, “também representam muitos outros que foram abusados sexualmente e cujos casos vieram à tona, e outros que ainda permanecem em segredo”.

“Uma mudança de estilo”

Na Tele13 Radio, Berríos ressaltou o significado do gesto do Papa e que “terá que corresponder a outros, que estão por vir, eu creio que nos enche de esperança e estamos bastante surpresos”.

Nesse sentido, afirmou que não devemos nos contentar com as mudanças de pessoas se não houver “uma mudança de estilo”, ressaltando que não há sistema democrático dentro da Igreja para a escolha dos cargos.

“Chama a minha atenção o fato de que, diante de tudo o que está acontecendo e que nos enche de expectativas – esses fortes sinais que o Papa está dando –, os bispos do Chile convocarem um Congresso Eucarístico. Diante disso, pode-se observar: parece que ‘estão em outra’; ‘será que estão entendendo o que realmente está acontecendo?'. É por isso que eu digo que além de mudanças de bispos eu gostaria de ver, e acredito que não apenas eu, mas o povo, o país, uma mudança de estilo”, disse o sacerdote a Conexión Tele13.

Berríos reiterou que o Papa faz esses gestos de convidar as pessoas e “espera-se que corresponda a uma mudança muito profunda na Igreja, e não apenas à troca de alguns bispos”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Chile. “Além de mudanças de bispos, precisamos de uma mudança de estilo na Igreja”, pede padre jesuíta - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV