Sala de Imprensa da Santa Sé: “Ninguém quis esconder ou manipular nada”

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Sigilo em torno do Sínodo da Amazônia mostra tensão entre transparência e discernimento

    LER MAIS
  • Está chegando o cato-fascismo

    LER MAIS
  • “Facebook ameaça a democracia”, adverte Chris Hughes, cofundador da rede social

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

17 Março 2018

“Ninguém quis esconder ou manipular nada”. É o que dizem em relação à carta de Bento XVI sobre o seu sucessor, fontes autorizadas da Santa Sé, de acordo com as quais “a foto de que falam alguns meios de comunicação é uma foto claramente artística: de fato, uma parte da carta está fora de foco e também apresentava a pilha de livros editados pela LEV [Librería Editorial Vaticana]”.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 16-03-2018. A tradução é de André Langer.

As mesmas fontes enfatizam que “a parte fora de foco foi lida publicamente por dom [Dario Edoardo] Viganò na coletiva de imprensa aos participantes e aos jornalistas”.

A carta que Bento XVI escreveu a Viganò, prefeito da Secretaria de Comunicação do Vaticano, dedicada a confirmar a continuidade do seu pontificado com o do Papa Francisco, que completava cinco anos, desencadeou uma nova controvérsia na terça-feira.

Desta vez, foi devido à divulgação aos meios de comunicação de uma foto do texto com as últimas linhas da carta fora de foco, nas quais Joseph Ratzinger admite que não vai conseguir ler os livros teológicos dedicados ao seu sucessor por razões físicas e outros compromissos. Setores tradicionalistas católicos acusam, pois, de “manipulação” os responsáveis pela comunicação do Vaticano.

Para os críticos, essa falta de foco da imagem deveu-se a uma vontade de não mostrar que os julgamentos positivos de Joseph Ratzinger foram escritos sem uma efetiva leitura dos textos, querendo reduzir assim a patrocinada carta de apoio de Ratzinger a Jorge Mario Bergoglio a uma simples demonstração de cortesia.

Pessoas vinculadas à Santa Sé admitiram que na foto essas frases estão fora de foco, mas que se trata simplesmente de um efeito gráfico artístico.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Sala de Imprensa da Santa Sé: “Ninguém quis esconder ou manipular nada” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV