Juan Carlos Cruz. “Dom Scicluna chorou comigo quando lhe falei sobre os abusos que sofri”

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Usada por Moro e Dallagnol, tese de alteração das mensagens está cada vez mais fraca

    LER MAIS
  • EUA. Um arcebispo ordena que uma escola jesuíta demita um professor gay. Eles dizem não

    LER MAIS
  • 'Por uma teologia do acolhimento e do diálogo, do discernimento e da misericórdia', segundo o papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Fevereiro 2018

“Sinto que pela primeira vez estão nos ouvindo”, disse após reunir-se com o enviado especial do Papa Francisco.

A reportagem é publicada por Rádio Cooperativa, 17-02-2018. A tradução é de André Langer.

O jornalista Juan Carlos Cruz, uma das vítimas de Fernando Karadima, destacou o encontro que teve, nos Estados Unidos, com o arcebispo de Malta, Charles Scicluna, enviado especial do Papa Francisco para investigar as acusações de acobertamento que pesam contra o bispo de Osorno, Juan Barros, um dos religiosos mais próximos ao ex-pároco de El Bosque.

Após o encontro, que durou cerca de três horas e meia em uma paróquia de Nova York, Cruz disse que o enviado especial até chorou com ele enquanto lhe falou sobre os abusos que sofreu.

“Foi um encontro longo e emocionalmente difícil, mas estou muito contente por ter podido falar com dom Scicluna, ele se comportou incrivelmente bem e pela primeira vez eu sinto que estão nos ouvindo”, disse o jornalista.

“Ele também chorou comigo quando lhe contava coisas, senti sua grande compaixão, que espero que aqueles que vão testemunhar no Chile sentam o mesmo que eu senti com dom (Scicluna)”, ressaltou Cruz.

Este foi o primeiro de uma série de encontros do arcebispo de Malta, que chegará a Santiago para recolher os testemunhos de outras vítimas de Karadima, entre elas James Hamilton e José Andrés Murillo, além de se reunir com organizações como a dos leigos de Osorno.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Juan Carlos Cruz. “Dom Scicluna chorou comigo quando lhe falei sobre os abusos que sofri” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV