Becciu anuncia que enfrentará a batalha: “Sou inocente e provarei”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Propor vacinação só em março e alcançar no máximo 1/3 da população em 2021 é um crime

    LER MAIS
  • Papa Francisco desafia a esquerda católica

    LER MAIS
  • Papa Bergoglio: “A propriedade privada não é intocável, a justiça social é necessária”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Setembro 2020

“Estou enojado, incomodado. Foi um choque para mim”, queixa-se o ex-prefeito.

A reportagem é de Jesús Bastante, publicada por Religión Digital, 25-09-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Angelo Becciu esteve em estado de choque. Ontem à tarde, tinha previsto uma reunião com o papa Francisco para abordar algumas causas de beatificação e canonização, na sua qualidade de prefeito da Congregação para as Causas dos Santos. Saiu da missa tendo “renunciado” (a terminologia vaticana que se tem) ao seu posto, e a seus direitos como cardeal. Ainda que siga sendo purpurado (de momento ainda não foi retirado de tal condição), não poderia participar em um hipotético conclave.

“Estou enojado. Incomodado. Foi um choque para mim, para minha família, para as pessoas do meu país”, explica, quase em um sussurro, o já ex-prefeito em entrevista a Franca Giansoldatti, de Il Messaggero. “Em espírito de obediência, e pelo amor que tenho à Igreja e ao Santo Padre, aceitei seu pedido de sair de cena”, explica, dando pistas sobre a natureza do que é secreto: não foi uma renúncia, mas uma demissão.

Francisco derrubou Becciu, embora a enigmática terminologia do Vaticano fale de “aceitação da renúncia”, sem dar nenhuma razão para isso, o que desencadeia todo tipo de interpretações. Angelo Becciu as abona na breve conversa com Giansoldatti: “Sou inocente e vou provar. Peço ao Santo Padre que me conceda o direito de me defender”.

Londres e a caixa de Pandora

O escândalo dos investimentos milionários em Londres e outras capitais do mundo, com dinheiro (supostamente) do Óbolo de São Pedro estão no eixo da renúncia-demissão de Becciu, que está triste e contrariado. Um animal ferido que não vai demorar muito para mostrar suas garras. Informação ele tem: não em vão, foi durante sete anos (de 2011 a 2018) Substituto do Secretário de Estado, uma espécie de ‘número três’ nas fileiras da Santa Sé, onde passavam todas as informações da Igreja no mundo.

Há quem veja a mão de seu sucessor, Edgar Peña Parra, por trás da queda de Becciu em desgraça, enquanto outros consideram que, ao contrário, os setores ultraconservadores têm tentado lançar o escândalo para continuar dinamitando o processo de reformas econômicas do papa Francisco.

Mas o caso de Londres irá ao fim (já fez várias vítimas, incluindo Domenico Giani, o ‘anjo da guarda’ dos últimos papas, e a investigação ainda está aberta), e novos vazamentos não serão descartados, visto que a Santa Sé não sabe atuar com diligência. Pois, a transparência ainda não é uma das normas dos estamentos vaticanos, como atesta a lacônica informação da Sala de Imprensa, sem justificar a demissão-renúncia... e lançá-la às oito da noite, sem aviso prévio para os vaticanistas. Que, felizmente, estão sempre em contato (e atualizados por e-mail).

“Sou inocente e provarei”, assegura Becciu. O escândalo apenas começou.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Becciu anuncia que enfrentará a batalha: “Sou inocente e provarei” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV