“O Óbolo de São Pedro foi usado para pagar um imóvel em Londres”: a investigação sobre o cardeal Becciu

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Francisco e as uniões homossexuais

    LER MAIS
  • Dom Paulo Cezar Costa, novo Arcebispo de Brasília. Nota da Comissão Justiça e Paz de Brasília

    LER MAIS
  • “A dignidade é a resposta popular ao cinismo aberto dos que estão no poder”. Entrevista com Slavoj Žižek

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Setembro 2020

Ex-número três do Vaticano como substituto da Secretaria de Estado, o prelado da Sardenha, na Itália, está envolvido no caso do edifício de Londres no centro de uma investigação. Ele continua sendo cardeal, mas perde todas as prerrogativas, como o voto no conclave.

A reportagem é de Salvatore Cernuzio, publicada por Il Secolo XIX, 24-09-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Com um boletim divulgado em horário inédito, às 20h [hora de Roma], o Vaticano informou que o cardeal Angelo Becciu renunciou aos direitos ligados ao cardinalato (permanecendo cardeal, porém) e renunciou ao cargo de prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, um importante dicastério da Cúria Romana.

“Hoje, quinta-feira, 24 de setembro, o Santo Padre aceitou a renúncia ao cargo de Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos e aos direitos ligados ao Cardinalato, apresentada por Sua Eminência o cardeal Giovanni Angelo Becciu”, diz a nota. Nada mais.

Não se sabem atualmente as causas dessa decisão definida por muitos como chocante, já que Becciu, depois de uma longa experiência como núncio, foi substituto da Secretaria de Estado do Vaticano por cerca de oito anos (2011-2018) e, portanto, o número três do Vaticano.

Estreito colaborador de Francisco, muito estimado pelo pontífice argentino que, de fato, quis criá-lo cardeal e também lhe confiou o cargo de delegado especial junto à Ordem de Malta, depois de uma tempestade interna e, assim, submetida a uma investigação, o prelado nascido em Pattada, na Sardenha, foi durante anos uma figura muito proeminente tanto dentro dos muros vaticanos, quanto junto à opinião pública.

No Dicastério dos Santos, à frente do qual o papa o havia colocado em maio de 2018, ninguém sabia dessa decisão repentina. Os colaboradores mais próximos do cardeal – informa o Vatican Insider – só foram informados do fato de que Becciu seria recebido na tarde dessa quinta-feira em audiência pelo Papa Francisco no Palácio Apostólico para assinar os decretos de algumas beatificações. É provável, portanto, que algo tenha ocorrido durante a audiência. De acordo com as reconstruções de algumas agências, Becciu teria sabido da decisão do papa poucas horas antes de ser comunicada.

A hipótese mais provável neste momento é de que, por trás da medida do pontífice, está o caso do edifício de Londres, o imóvel adquirido pela Secretaria de Estado por cerca de 160 milhões de euros nos anos em que Becciu era substituto, que acabou no centro de uma investigação da magistratura vaticana que ainda está em andamento e que também levou à suspensão de cinco empregados vaticanos, incluindo o Mons. Mauro Carlino, secretário pessoal do próprio Becciu.

Uma reportagem investigativa da revista L’Espresso afirma que o purpurado teria desviado dinheiro das ofertas do Óbolo de São Pedro – uma coleta de esmolas e doações para as ações sociais da Igreja – para fundos especulativos e favores para a família.

Becciu, por sua vez, sempre declarou a extrema correção da negociação, definida porém como “opaca” pelo secretário de Estado, Pietro Parolin: “O investimento era regular e estava registrado de acordo com a lei”, afirmou ele publicamente em diversas ocasiões, definindo também como “sujas” as acusações de que a Santa Sé usou o dinheiro dos pobres para comprar o luxuoso edifício na Sloane Avenue.

O cardeal não deu nenhuma declaração. Às pessoas mais próximas, ele disse que, por enquanto, queria manter o “silêncio”.

Becciu continuará mantendo o “título cardinalício” (o comunicado dessa quinta-feira da Sala de Imprensa do Vaticano utiliza a expressão “Sua Eminência”), mas esvaziado de todo o seu conteúdo e, de fato, reduzido a um título meramente honorífico.

Os direitos ligados ao cardinalato aos quais Becciu renuncia são aqueles expressados nos cânones 349, 353 e 356 do Código de Direito Canônico. Eles se referem ao “colégio peculiar” dos eleitores do papa, que participam dos consistórios, colaboram com o pontífice e são obrigados a ir a Roma sempre que convocados.

Becciu também perde a possibilidade de participar de um eventual futuro conclave para a eleição do papa.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“O Óbolo de São Pedro foi usado para pagar um imóvel em Londres”: a investigação sobre o cardeal Becciu - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV