Greta Thunberg diz que Trump é “tão extremo” sobre o clima que está acordando as pessoas

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que muda (para pior) no financiamento do SUS

    LER MAIS
  • Ou isto, ou aquilo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia aumenta 212% em outubro deste ano, aponta Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Novembro 2019

A jovem ativista sueca pelo clima, Greta Thunberg, disse, na terça-feira, que a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de se retirar do Acordo de Paris certamente contribuiu para a causa que ela defende.

A reportagem é de Diego Vera, publicada por Biobiochile, 13-11-2019. A tradução é do Cepat.

“É tão extremo e diz coisas tão extremas que as pessoas acordaram de certa maneira”, disse Thunberg, em entrevista à AFP, no porto de Hampton, estado da Virgínia (na costa leste dos Estados Unidos), na véspera de sua partida da nação estadunidense, onde passou 11 semanas.

A bordo do veleiro no qual deve deixar o país em direção à Europa, na manhã de quarta-feira, Thunberg se manifestou sem rodeios: “Quando (Trump) foi eleito, pensei que as pessoas finalmente acordariam. Porque parece que se continuarmos como agora, nada acontecerá. Então, talvez ele esteja ajudando.

Agora, a ativista de 16 anos deve retornar à Europa e um jovem casal australiano se ofereceu para ajudá-la em sua viagem.

Elayna Carausu, 26 anos, e Riley Whitelum, 35, que vivem em seu catamarã com seu filho de 11 meses e registram suas aventuras nas redes sociais, responderam ao pedido de ajuda de Greta para uma viagem de retorno, em um tom ecológico.

Originalmente, o casal planejava passar o inverno boreal nos Estados Unidos, mas agora levarão Greta e seu pai Svante Thunberg para casa, em seu catamarã de
14 metros, “La Vagabonde”.

Após meses de campanha nos Estados Unidos e no Canadá, incluindo uma participação na importante cúpula climática da ONU, em setembro, que foi o principal motivo de sua visita, ofereceu uma avaliação tíbia do impacto.

“Depende ... Em certo sentido, muitas coisas mudaram e muitas coisas foram na direção correta, mas também, em certo sentido, passamos alguns meses sem que ações reais tenham sido tomadas e sem que as pessoas percebam a emergência em que estamos imersos”, disse a estudante do ensino médio.

A viagem em si deverá durar de duas a três semanas, dependendo das condições climáticas. O jovem casal e seu filho Lenny (que tem sua própria conta no Instagram), junto com os Thunbergs, contarão com o marinheiro britânico profissional Nikki Henderson, que foi chamado para dar uma mão.

Agora, o destino da jovem estudante é Portugal, a cerca de 5.500 quilômetros de distância, para participar da cúpula climática da ONU COP 25, em Madri, Espanha, de 2 a 13 de dezembro.

O local originalmente marcado era o Chile, mas mudou em razão dos distúrbios políticos e sociais no país, o que forçou Greta a mudar seus planos de viagem.

“Se eu chegar na COP 25 a tempo, então participarei dela, porque recebi um convite”, disse Thunberg, que usava uma jaqueta estampada com as palavras “Unite for Science” (Unir-se pela Ciência).

“Depois, acredito que irei para casa, é o que acho”, disse a jovem.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Greta Thunberg diz que Trump é “tão extremo” sobre o clima que está acordando as pessoas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV