Greta Thunberg enfrenta as petroleiras no Canadá

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O novo rosto do clero: perfil dos “padres novos” no Brasil

    LER MAIS
  • Por que Bolsonaro ainda não caiu

    LER MAIS
  • Papa deve enviar Greta Thunberg para a COP26 em seu lugar

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Outubro 2019

Surgia com força para o Prêmio Nobel da Paz, mas o prêmio foi concedido ao primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed. Desde então, grande parte dos meios de comunicação da Europa parecem ter perdido o foco de Greta Thunberg. Do outro lado do Atlântico, no entanto, a jovem ativista climática continua ocupando espaços de destaque em rádios, jornais e televisões no Canadá, onde há duas semanas protagoniza uma agenda cheia de atos em defesa do meio ambiente em geral, das Nações Originárias do Canadá (denominação moderna de 'povos indígenas' ou 'índios' da América do Norte), dos estudantes que continuam fazendo greves climáticas todas as sextas-feiras e, em particular, contra grandes empresas petroleiras.

A reportagem é de Joaquim Elcacho, publicada por La Vanguardia, 21-10-2019. A tradução é Cepat.

Após passar por capitais do centro dos Estados Unidos, como Denver (Colorado) e várias áreas de Wyoming, Idaho e Montana, na sexta-feira, 18 de outubro, a inspiradora do movimento internacional de jovens Fridays For Future participou com aproximadamente 15.000 pessoas de uma manifestação em Edmonton, a capital mais próxima das grandes explorações de petróleo do Canadá.

Nesta grande área da província de Alberta, o petróleo é extraído das areias betuminosas, numa prática que não só prejudica o clima - devido à subsequente combustão deste hidrocarboneto - e a atmosfera - emissão de poluentes -, mas também causa um amplo impacto no território, devido à grande área e volume de terra que são removidos para filtrar o óleo.

Diante da presença de Greta Thunberg, algumas centenas de pessoas também se concentraram em Edmonton para defender seus postos de trabalho nas empresas relacionadas ao petróleo e gás. Na mesma linha, o primeiro ministro de Alberta, o conservador Jason Kenney, criticou os seguidores de Greta Thunberg e as ações contra a crise climática.

O futuro está em jogo

Thunberg tomou a palavra na sexta-feira, nas proximidades do Parlamento de Alberta, para agradecer aos estudantes que “hoje sacrificaram sua educação para chamar a atenção para a emergência climática e ecológica”. A jovem de nacionalidade sueca acrescentou que “nosso futuro está em jogo” e criticou a dependência do consumo de petróleo e seus derivados.

A província canadense de Alberta, no oeste do país, contém algumas das maiores reservas de petróleo do mundo e os campos de petróleo representam 96% das reservas do Canadá. No ano passado, a província produziu 2,91 milhões de barris de petróleo por dia. O Canadá é o quarto maior produtor de petróleo do mundo e também o quarto maior exportador, embora quase todo o seu petróleo seja enviado para os Estados Unidos.

As explorações de petróleo também têm um impacto significativo nos grupos populacionais das nações originárias, porque ocupam territórios e causam poluição nas águas.

Greta Thunberg também se reuniu nos últimos dias com vários representantes das Nações Originárias do Canadá para conhecer a sua situação e mostrar seu apoio diante das pressões recebidas por essas pequenas comunidades por parte de autoridades estatais, provinciais e os representantes das grandes empresas de hidrocarbonetos.

Paralelamente, através de contatos telefônicos e mensagens nas redes sociais, Thunberg acompanha de perto as ações em defesa do clima que são realizadas em várias partes do planeta e tem se preocupado especialmente com as prisões em massa de ativistas climáticos que realizam ações pacíficas em capitais como Londres e Washington.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Greta Thunberg enfrenta as petroleiras no Canadá - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV