Padre alemão está pronto para abençoar casais do mesmo gênero, chamando o catecismo de “embaraçante”

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco ataca o 'desejo de poder', a 'rigidez disciplinar' e a 'deslealdade' nas associações de fiéis, dos movimentos eclesiais e das novas comunidades

    LER MAIS
  • Vacinas, o grande golpe da Big Pharma

    LER MAIS
  • A furiosa e disfarçada guerra pela Água no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Outubro 2020

Um padre encarregado do ministério diocesano para lésbicas e gays disse que abençoaria alegremente casais do mesmo gênero se lhe fosse solicitado, acrescentando que as citações do Catecismo sobre a homossexualidade são “embaraçosas”.

A reportagem é de Robert Shine, publicada por New Ways Ministry, 21-10-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

O padre Christoph Behrens deu entrevista ao portal Katholisch.de, o meio de comunicação dos bispos alemães, sobre seu ministério com lésbicas e gays, especificamente sobre a questão das bênçãos da igreja para casais do mesmo gênero. Ele disse que não apenas o faria, mas o faria publicamente e recomendaria a outros que fizessem o mesmo.

Aqui está parte da conversa:

Behrens: “Eu não me deixaria ser proibido de abençoar um casal homossexual. Vejo como minha missão colocar as pessoas em contato com Deus e não fechar as portas, mas abri-las”.

Então você ainda não recebeu um pedido específico de um casal homossexual para abençoá-los?

Não. Na verdade, estou esperando (risos).

Como exatamente poderia ser essa bênção?

Eu sou uma pessoa criativa e pensaria em algo que agradasse às pessoas, fosse bonito e expressasse uma mensagem. O mais importante é que o foco esteja no casal que deseja essa bênção. Uma pequena liturgia poderia ser desenvolvida a partir de sua história de vida. Muitas vezes tenho visto esse trabalho de cuidado pastoral, seja com crianças ou agora na pastoral hospitalar com os doentes. Tem que ser bela, humana e convidativa para todos os envolvidos. Para colocá-la piamente, deve ser sobre o reino de Deus. Mas dificilmente usaria um modelo para isso, mas desenvolvê-lo a partir da respectiva situação...

Então, você também não se intimidaria em dar essa bênção em uma igreja?

Eu até recomendaria. Eu não gostaria de esconder essa bênção. E eu não pediria muito – nem mesmo o bispo. Ele me deu a mão livre e me encomendou. Estou muito tranquilo com isso.

-

Em junho, o padre foi orientado a estar em contato com lésbicas/gays pelo bispo Heinrich Timmerevers, da diocese de Dresden-Meissen, que endossou tais bênçãos para casais do mesmo gênero neste ano. Behrens disse que se sente apoiado não apenas pelo bispo, mas também por outros padres. Dito isso, tem havido dificuldades para fazer contato com pessoas LGBTQ porque, nas palavras do padre, “fizemos um ótimo trabalho como igreja para garantir que os homossexuais nunca pensem em entrar em contato com um pastor”.

Parte do problema de como a igreja trata lésbicas e gays pode ser encontrada no Catecismo, sobre o qual Behrens comentou:

“Do meu ponto de vista pastoral e teológico, tais citações são simplesmente embaraçosas. Só podemos esperar que muitas pessoas não leiam esse absurdo. O que psicólogos e outros cientistas descobriram nesse ínterim não parece ter nenhuma importância e não há vontade de ser esclarecido. É simplesmente constrangedor. ”

Além das bênçãos da igreja, Behrens deixou claro que seu ministério para lésbicas e gays envolve escuta e acompanhamento mais amplos, não apenas com os cristãos, mas também com os não-cristãos. Seu objetivo: se as pessoas desta comunidade na diocese de Dresden-Meißen soubessem que poderiam ir à Igreja Católica com suas preocupações e anseios, teríamos alcançado muito”.

Por fim, o entrevistador perguntou a Behrens se ele temia as consequências desse ministério. O padre ofereceu uma resposta extremamente forte:

“Não. Isso não me incomodaria, porque sou mais do tipo lutador. Quando estou convencido de algo e percebi que é certo e importante, não tenho medo das consequências. Se acreditamos na criação de Deus e que ele fez tudo bem, então também devo ter certeza de que o pensamento de Deus pode viver no mundo. E embora sejamos uma diocese muito pequena, não recebemos nenhuma hostilidade por nosso trabalho até agora - embora o temêssemos. Isso também nos incentiva a dizer: estamos no caminho certo”.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Padre alemão está pronto para abençoar casais do mesmo gênero, chamando o catecismo de “embaraçante” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV