Os países do topo do ranking que já chegaram ao pico da pandemia. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Transmidiatizar as narrativas da vida e do Evangelho

    LER MAIS
  • “A pandemia revelou nossa vulnerabilidade”. Entrevista com Gaël Giraud

    LER MAIS
  • Seis dicas espirituais para uma transição ecológica

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


14 Abril 2020

"O que todos estes dados mostram é que a pandemia continua a avançar no mundo, mas não só em menor ritmo em relação à segunda quinzena de março, mas com os países em diferentes pontos da curva", escreve José Eustáquio Diniz Alves, doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE, em artigo publicado por EcoDebate, 13-04-2020.

Eis o artigo.

O surto de covid-19 se espalhou pelo mundo e já atingiu mais de 210 países e territórios, com grande crescimento dos casos e das mortes, conforme mostra o gráfico abaixo. No dia 01 de março de 2020 havia 88,6 mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus, com 3 mil mortes notificadas. A taxa de letalidade era de 3,4%. No dia 31 de março os casos notificados passaram para 858,4 mi, com 42,3 mil mortes e uma taxa de letalidade de 4,9%. O crescimento médio diário do número de casos foi de 7,7% e o crescimento diário do número de mortes foi de 8,9%.

Entre os dias 01 e 12 de abril o número de casos passou de 935,2 mil para 1,85 milhão e o número de mortes passou de 47,2 mil para 114 mil. O crescimento médio diário nos primeiros 12 dias de abril foi de 6,4% no número de casos e de 8,4% no número de mortes. Nota-se que as estatísticas das mortes crescem mais rápido do que as estatísticas do casos (podendo indicar muita subnotificação dos casos não graves), mas ambas cresceram num ritmo mais lento em abril do que em março. A taxa de letalidade em 12 de abril ficou em 6,2% e a taxa de não letalidade ficou em 93,8%.

Número de casos e de mortes pelo coronavírus no mundo: 01/03 a 12/04 de 2020

A tabela abaixo (semelhante à tabela do artigo anterior, Alves: 10/04/2020) apresenta os 18 países do topo do ranking da pandemia, além do total mundial, além de comparar com os demais países além dos 18 maiores do topo da tabela.

Assim, comparando a tabela abaixo que vai do dia 01 a 12 de abril (com a tabela do artigo anterior que ia de 01 a 09 de abril), nota-se que todos os 18 países reduziram as taxas de crescimento do número de casos e mortes, sendo que o total dos 18 países apresentava um crescimento dos casos de 6,4% ao dia e caiu para 6,2% ao dia e o crescimento do número de mortes que era de 9% caiu para 8,2% ao dia. No mundo a queda dos casos foi de 6,9% para 6,4%. No restante do mundo (menos os 18 países) o crescimento do número de casos que estava em 8% caiu para 7,8% (mas é maior do que o crescimento dos 18 ‘países), e o crescimento do número de mortes caiu de 12,6% para 11,4%. Há claramente uma tendência de desaceleração no ritmo do surto de covid-19.

Os países que ainda apresentam grande crescimento da pandemia (e que não chegaram ao pico do número de casos) são todos aqueles com taxas de variação acima de 8%, tais como EUA, França, Reino Unido, Turquia, Bélgica, Canadá e Brasil. Já Espanha, Itália, Alemanha, China, Irã, Suíça, Holanda, Portugal, Áustria, Coreia do Sul e Israel parecem que já atingiram o pico do número de casos.

18 países do topo do ranking da pandemia, além do total mundial

O que todos estes dados mostram é que a pandemia continua a avançar no mundo, mas não só em menor ritmo em relação à segunda quinzena de março, mas com os países em diferentes pontos da curva. Por exemplo, a China e a Coreia do Sul já deixaram o pico da pandemia muito para trás e estão numa fase de tentar eliminar a doença. Já países que estão no topo do ranking, como Espanha, Itália e Alemanha, deixaram para trás o pico da pandemia recentemente e começam a descer a curva. Já países como a Turquia e o Brasil estão ainda na fase de “subir a curva” e devem continuar apresentando grande número de casos e mortes ao longo do mês de abril.

O que preocupa é que o a parte abaixo dos 18 países da tabela – que inclui a maioria dos países e da população mundial – ainda apresenta taxas de crescimento muito elevadas, mostrando que o esforço para efetivar as medidas preventivas não pode ser abandonado.

Referências:

ALVES, JED. A pandemia de Coronavírus e o pandemônio na economia internacional, Ecodebate, 09/03/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. “A recessão em 2020 é inexorável e a palavra-chave para as pessoas é sobrevivência”, Correio da Cidadania, 21/03/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. O crescimento da pandemia de coronavírus e a redução da poluição ambiental, Ecodebate, 24/03/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. A pandemia de Covid-19 avançou rapidamente na última semana, Ecodebate, 30/03/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. O avanço da pandemia de Covid-19 no mundo e no Brasil no mês de março, Ecodebate, 01/04/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. Um milhão de infectados e cinquenta mil mortes pela Covid-19 no mundo, Ecodebate, 03/04/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. Diário da Covid-19: ritmo de casos no Brasil supera a média mundial, # Colabora, 07/04/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. A pandemia global avança no mundo, mas em ritmo mais lento, Ecodebate, 06/04/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. A pandemia global de Covid-19 desacelera na primeira semana de abril, Ecodebate, 08/04/2020. Disponível aqui.

ALVES, JED. Brasil com mais de 1 mil mortes e o mundo com mais de 100 mil mortes pela covid-19, Ecodebate, 10/04/2020. Disponível aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Os países do topo do ranking que já chegaram ao pico da pandemia. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV