Pesquisa revela que o herbicida Roundup contamina ecossistemas de água doce e prejudica a biodiversidade

Revista ihu on-line

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Mais Lidos

  • Moçambique. “Ameaças de morte por parte do governo. Há anos que lançamos apelos para Maputo. Sem sucesso”, denuncia ex-bispo de Pemba

    LER MAIS
  • Assim, o Papa Francisco nos lembrou que o comunismo pertence ao pensamento religioso

    LER MAIS
  • Repartir os bens não é comunismo, é cristianismo puro, diz o Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Março 2020

Estudo examina a resiliência de ecossistemas de água doce contaminados pelo herbicida Roundup.

A reportagem é publicada por McGill University e reproduzida por EcoDebate, 03-03-2020. A tradução e edição são de Henrique Cortez.

Um dos herbicidas mais utilizados no mundo, à base de glifosato, o Roundup, pode desencadear a perda de biodiversidade, tornando os ecossistemas mais vulneráveis à poluição e às mudanças climáticas, afirmam pesquisadores da Universidade McGill.

O uso generalizado do Roundup em fazendas despertou preocupações sobre possíveis efeitos ambientais e à saúde em todo o mundo. Desde os anos 90, o uso do herbicida cresceu, quando a indústria agrícola adotou as sementes geneticamente modificadasRoundup Ready” que são resistentes ao herbicida. “Os agricultores pulverizam seus campos de milho e soja para eliminar ervas daninhas e aumentar a produção, mas isso levou à lixiviação do glifosato no ambiente ao redor. No Quebec, por exemplo, foram encontrados vestígios de glifosato nos rios Montérégie”, diz Andrew Gonzalez, professor de biologia da McGill e Presidente da Liber Ero em Biologia da Conservação.

Para testar como os ecossistemas de água doce respondem à contaminação ambiental pelo glifosato, os pesquisadores usaram lagoas experimentais para expor as comunidades fitoplanctônicas (algas) ao herbicida. “Essas minúsculas espécies na parte inferior da cadeia alimentar desempenham um papel importante no equilíbrio do ecossistema de um lago e são uma fonte importante de alimento para animais microscópicos. Nossos experimentos nos permitem observar, em tempo real, como as algas podem adquirir resistência a glifosato em ecossistemas de água doce “, afirma o pesquisador de pós-doutorado Vincent Fugère.

Ecossistemas se adaptam, mas à custa da biodiversidade

Os pesquisadores descobriram que os ecossistemas de água doce que experimentam contaminação moderada pelo herbicida se tornaram mais resistentes quando mais tarde expostos a um nível muito alto dele – funcionando como uma forma de “vacinação evolutiva”. Segundo os pesquisadores, os resultados são consistentes com o que os cientistas chamam de “resgate evolutivo”, que até recentemente só haviam sido testados em laboratório. Experiências anteriores do grupo Gonzalez haviam demonstrado que o resgate evolutivo pode impedir a extinção de uma população inteira quando exposto a uma contaminação ambiental grave por um pesticida, graças à rápida evolução.

No entanto, os pesquisadores observam que a resistência ao herbicida teve um custo com a diversidade de plâncton. “Observamos uma perda significativa de biodiversidade em comunidades contaminadas com glifosato. Isso pode ter um impacto profundo no funcionamento adequado dos ecossistemas e diminuir a chance de que eles possam se adaptar a novos poluentes ou estressores. Isso é particularmente preocupante, já que muitos ecossistemas estão lutando com os ameaça crescente de poluição e mudança climática “, diz Gonzalez.

Os pesquisadores apontam que ainda não está claro como a evolução rápida contribui para a resistência a herbicidas nesses ecossistemas aquáticos. Os cientistas já sabem que algumas plantas adquiriram resistência genética ao glifosato em campos agrícolas que são pulverizados fortemente com o herbicida. Para descobrir mais, serão necessárias análises genéticas atualmente em andamento pela equipe.

Referência:

Fugère, V., Hébert, M., da Costa, N.B. et al. Community rescue in experimental phytoplankton communities facing severe herbicide pollution. Nat Ecol Evol (2020). Disponível aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pesquisa revela que o herbicida Roundup contamina ecossistemas de água doce e prejudica a biodiversidade - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV