Presidente francês enquadra Bolsonaro e ameaça não assinar acordo

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • A ONU alerta que a covid-19 acelerará a transferência do poder econômico e político para as elites ricas

    LER MAIS
  • “Em nossa história moderna nunca sofremos duas revoluções tão profundas, em tão pouco tempo”. Entrevista com Ángel Bonet Codina

    LER MAIS
  • A crise de uma humanidade que não consegue se tornar humana, segundo Edgar Morin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


28 Junho 2019

Sessões do G20 não começaram, mas críticas à política climática do Brasil já tomam espaço.

A reportagem é de Giovanna Galvani, publicado por CartaCapital, 27-06-2019.

Depois de ter rebatido Angela Merkel, chanceler alemã que afirmou querer uma ‘discussão clara’ com o presidente sobre desmatamento, o presidente Jair Bolsonaro foi agora enquadrado pelo presidente francês, Emmanuel Macron: “Se o Brasil deixar o Acordo de Paris, no que nos diz respeito, não poderemos assinar um acordo comercial com eles”.

A declaração foi feita a repórteres no Japão antes de uma reunião do G20, e diz respeito ao acordo comercial que visa firmar um pacto entre a União Europeia e o Mercosul – no qual estão inclusos Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Se bem-sucedida, a negociação dará origem a um dos maiores acordos de livre comércio do mundo, com mais de 770 milhões de consumidores.

Macron ainda mencionou que o uso de agrotóxicos influencia no andamento das negociações. “Estamos pedindo aos nossos agricultores que parem de usar pesticidas, estamos pedindo a nossas empresas que produzam menos carbono, que tenha um custo de competitividade”, disse o francês. “Então, não vamos dizer de um dia para o outro que vamos permitir a entrada de produtos de países que não respeitem nada disso”.

Na terça-feira 24, 340 ONGs europeias e sul-americanas, incluindo o Greenpeace e a Friends of the Earth, pediram à UE que “pare imediatamente” as discussões “por causa da deterioração dos direitos humanos e da situação ecológica no Brasil” desde a posse em janeiro do presidente Jair Bolsonaro.

Em 2018, UE e Mercosul comercializaram quase 88 bilhões de euros em mercadorias. Os países da América do Sul exportaram, principalmente, seus produtos agrícolas, e os europeus, seus produtos industriais e farmacêuticos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Presidente francês enquadra Bolsonaro e ameaça não assinar acordo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV