Alemanha. Cardeal Woelki, de Colônia, admite negligências nos casos de abusos. Às vítimas, “venham, vos ouvirei”

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Desigualdade. Artigo de Ladislau Dowbor

    LER MAIS
  • Segredo, confissão e abuso: Cardeal Federigo, o Inominado e Lúcia. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS
  • “É preciso afastar Bolsonaro já para parar a matança”. Entrevista com Chico Whitaker

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Março 2021

O Card. Rainer Maria Woelki, arcebispo de Colônia, admitiu sua negligência ao enfrentar os casos de abusos, mas descartou sua renúncia.

A reportagem é publicada por Agenzia SIR, 23-03-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

Durante uma conferência de imprensa realizada hoje para apresentar as consequências decorrentes do relatório sobre os abusos sexuais cometidos na arquidiocese de Colônia, apresentado no último 18 de março, Woelki reiterou que em um caso ele "agiu de forma respeitosa e legalmente segura", ressaltando, no entanto, que “não se trata apenas de fazer a coisa certa, trata-se de fazer tudo que é humanamente possível, e eu não o fiz”.

No caso em questão (definido como "Fall O") Woelki não denunciou às instituições do Vaticano um caso de abuso devido ao estado de saúde do suspeito: "Mesmo que parecesse sem esperança e o resultado fosse previsível, teria sido melhor se o tivesse feito”, considerou o cardeal que também admitiu negligência em relação a outro caso. Woelki lamentou ter reintegrado um sacerdote com funções limitadas por instrução recebida das autoridades competentes do Vaticano, apesar dos atos praticados pelo padre terem sido comprovados. Foi apenas em 2018 que o sacerdote foi suspenso por Woelki depois que novas acusações foram divulgadas. Explicando aos jornalistas o fato de que não se demitirá, o cardeal reiterou: “Posso trabalhar melhor apenas do meu escritório”.

Woelki está disposto a aceitar as consequências desses fatos. Daí o desejo de se confrontar com as mais de 300 vítimas dos abusos: “Venham, se quiserem, eu tentarei vos ouvir”, disse o arcebispo de Colônia.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Alemanha. Cardeal Woelki, de Colônia, admite negligências nos casos de abusos. Às vítimas, “venham, vos ouvirei” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV