O clamor dos povos indígenas no Sínodo

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O Sínodo Mundial é uma preparação para um futuro Concílio, afirma arcebispo de Praga

    LER MAIS
  • Em carta, Bento XVI diz esperar se encontrar com os seus amigos no céu

    LER MAIS
  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


17 Outubro 2019

"Este Sínodo é muito importante porque está dando voz aos pequenos, aos pobres, aqueles que estão nas periferias da existência humana e social. O Papa Francisco convocou o Sínodo para a gente refletir a importância da Igreja na Amazônia para que sejamos uma voz profética no Senhor Jesus Cristo, possamos estar junto aqueles que mais sofrem na sociedade que entre eles tem os povos indígenas", escreve Dom Vital Corbellini, Bispo de Marabá, Pará.

Eis o artigo.

No Sínodo está ressonando sempre mais o clamor dos povos indígenas ou originários no sentido de preservação de suas terras, florestas, rios, vida que está se desenvolvendo dentro das aldeias indígenas. Deus fez bem todas as coisas e criou as coisas para o povo viver bem e fazer bem. Os povos indígenas estão sendo ameaçados porque a vida deles é na floresta e esta deve continuar em pé, porque se ela cair, a vida dos povos indígenas também, vai cair. Isto não é bom, porque é o interesse econômico que iria se sobressair ao ser humano e por isso nós devemos lutar pelo bem destes povos em toda a Amazônia brasileira e em outros países. Neste sentido a sua voz deve continuar ressonando em nossas vidas, porque a Igreja é enviada a evangelizar a todos, e ser evangelizada em Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Este Sínodo é muito importante porque está dando voz aos pequenos, aos pobres, aqueles que estão nas periferias da existência humana e social. O Papa Francisco convocou o Sínodo para a gente refletir a importância da Igreja na Amazônia para que sejamos uma voz profética no Senhor Jesus Cristo, possamos estar junto aqueles que mais sofrem na sociedade que entre eles tem os povos indígenas. Eles estão levantando a sua voz para que as pessoas parem de desmatar as suas florestas, os seus rios não sejam poluídos, as suas vidas não sejam tiradas. O fato é que morreram muitos indígenas nestes últimos anos por pessoas, invasores que querem as suas terras, as suas florestas e suas riquezas naturais. Infelizmente estão sendo cobiçadas as suas terras por grupos econômicos, grandes empresas que buscam tirar o que há de melhor em suas terras, deixando os povos sem a vida muitas vezes.

É importante perceber a ideia edificante das coisas destes povos originários, pois a água, o ar, a terra, e a vida do meio ambiente foram criados por Deus para as nossas vidas, de modo que os maus tratos e o extermínio da mãe terra, seria o fim também de suas vidas. Deus criou tão bem as coisas e no-las concedeu para a gente usufruí-las com sustentabilidade, com respeito aos outros, com amor a Deus, ao próximo e a si mesmo.

A Igreja está ao lado de todas as pessoas sobretudo dos mais sofredores, do povo do campo e da cidade, dos povos indígenas. A nossa pastoral deve ir ao encontro deles para a unidade, a valorização da vida, de suas culturas, crenças e a fé em Deus Criador de tudo onde todos tem o seu devido lugar, vida porque todos somos chamados a fazer bem para também viver bem, neste mundo e um dia na eternidade.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O clamor dos povos indígenas no Sínodo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV