Allahu Akbar, Adonai e Ave-Maria cantadas em uníssono diante do rei Mohammed VI e do Papa Francisco

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nunca se viu no Brasil um governo tão abençoado pelas igrejas

    LER MAIS
  • Cardeal Hollerich “está aberto” ao sacerdócio das mulheres

    LER MAIS
  • "A REPAM é fazer conectar aquilo que é comum de todos". Entrevista com João Gutemberg Sampaio, novo secretário executivo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


01 Abril 2019

Um concerto que promove a fraternidade entre as três religiões monoteístas.

A reportagem é de Anaïs Lefébure, publicada por Huffington Post, 30-03-2019. A tradução é de André Langer.

Belo momento de diálogo inter-religioso. Por ocasião da chegada do Papa Francisco neste sábado, 30 de março, a Rabat, a Orquestra Filarmônica do Marrocos (OPM) interpretou um arranjo um pouco especial. Artistas representando as três religiões monoteístas cantaram em coro diante do Rei Mohammed VI e do Papa Francisco, no auditório do Instituto Mohammed VI de Formação de Imãs Morchidines e Morchidates.

Acompanhados pela Orquestra Filarmônica do Marrocos e com Dina Bensaïd ao piano, a cantora Caroline Casadesus, filha do maestro da orquestra, Jean-Claude Casadesus, interpretou a Ave-Maria de Caccini, acompanhada pelo muezim Smahi Harrati, que cantou o convite à oração muçulmana (Allahu Akbar), ao lado da cantora Françoise Atlan, que entoou a oração judaica (Adonai). Os três cantores concluíram o concerto de mãos dadas, como podemos ver no vídeo abaixo:

Esta obra musical faz parte de uma série de concertos lançados pela Orquestra Filarmônica do Marrocos em 2016 e chamados de “Religiões em uníssono”. “A ideia é mostrar que a música pode aproximar povos de diferentes culturas e religiões. Já tocamos no Marrocos várias vezes, mas também em 2017, em Paris, na igreja de Saint-Germain”, explica para o HuffPost Maroc Caroline Saunier, vice-diretora da Fundação Tenor para a Cultura, criada pela OPM.

Este concerto, que teve uma audiência de várias centenas de estudantes imãs morchidates (pregadores) do Marrocos e da África Subsaariana, e várias personalidades políticas e religiosas como o conselheiro do rei André Azoulay e o bispo de Rabat, dom Cristóbal López Romero, encerrou a visita do Papa Francisco ao Instituo de Formação de Imãs, após sua alocução na esplanada da Torre Hassan.

Antes do concerto, os dois soberanos participaram de uma sessão de apresentação do instituto, do discurso do ministro da Promoção e dos Assuntos Islâmicos e de dois estudantes do instituto, uma nigeriana e um francês. Todos enfatizaram a necessidade de promover a fraternidade entre as religiões e os valores da tolerância e do “viver juntos” para lutar contra o extremismo religioso.

O instituto, inaugurado em 2015, conta atualmente com mais de 1.300 estudantes marroquinos e estrangeiros, incluindo senegaleses, marfinenses, nigerianos, gaboneses e franceses. Em breve, acolherá também estudantes do Níger e da Tailândia.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Allahu Akbar, Adonai e Ave-Maria cantadas em uníssono diante do rei Mohammed VI e do Papa Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV