Trabalho (111)

Como os dados apontam, durante a pandemia do novo coronavírus, houve uma queda no número de alunos jovens de 55,8 mil do primeiro trimestre de 2020 para o mesmo período de 2021 na Região Metropolitana de Porto Alegre. Para além da evasão escolar, é importante também atentar-se para os jovens em situação de desalento, ou seja, aqueles que desistiram de procurar trabalho. O aumento foi de 89,4% durante a pandemia, saindo de 9,6 mil para 18,2 mil, representando 38,9% dos desalentados. Eis o artigo completo.…
O número de desligamentos de trabalhadores por morte na Região Metropolitana de Porto Alegre cresceu 358%, passando de 114 para 523, quando comparado com março de 2020 e o mesmo período deste ano, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED, do Ministério da Economia. Eis o artigo.  O CAGED coleta mensalmente informações sobre contratos formais de emprego no Brasil, inclusive o motivo do encerramento do contrato de trabalho. O desligamento de trabalhadores por morte é um deles. Entretanto, não é possível…
O trabalho doméstico registrou queda de 9,2% entre o primeiro trimestre e o último trimestre de 2020 na Região Metropolitana de Porto Alegre. Em ternos absolutos, passou de 112,7 mil para 102,3 mil trabalhadores domésticos. Apesar dos duros avanços conquistados para maior formalidade, 67,4% ainda estavam na informalidade, de acordo com os últimos dados. Nota-se também uma migração do formal para o informal, ao mesmo tempo em que a escolaridade dos trabalhadores domésticos também aumenta. Eis o artigo. Muitos consideram o trabalho doméstico como a “economia…
Os dados do mundo do trabalho e da vida dos trabalhadores na Região Metropolitana de Porto Alegre levantados pela Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio - PNAD no terceiro semestre de 2020 revelam que o desemprego e o desalento seguem crescendo, especialmente entre os jovens de 14 a 30 anos. Esta mesma pesquisa anuncia que, pela primeira vez no ano, homens e mulheres tiveram o mesmo número de desemprego. A desigualdade de renda pelo trabalho na Região Metropolitana de Porto Alegre segue aumentando, já que a…
Os primeiros dados divulgados sobre os efeitos da pandemia do novo coronavírus apontam que a Região Metropolitana de Porto Alegre foi uma das mais impactadas. Está entre as que mais perdeu renda do trabalho, especialmente na parcela da população mais pobre, bem acima da média brasileira e da Região Sul. Outro impacto é a capital do Rio Grande do Sul, sendo uma das que mais fechou postos de trabalhos formais em 2020.  A Região Metropolitana de Porto Alegre apresentou taxa de desemprego de 12,2% no segundo trimestre de 2020.…
Os dados do mercado de trabalho formal expõem a gravidade da pandemia no saldo de postos de trabalho na Região Metropolitana de Porto Alegre. Apenas quatro meses de pandemia representou um saldo negativo próximo da mesma magnitude de 2015, ano da crise econômica, política e social, da qual ainda não nos recuperamos até hoje. O Rio Grande do Sul é um dos estados do Brasil com o maior número de postos de trabalhos fechados, tal impacto pode ser verificado em Porto Alegre, sendo a quinta capital com maior número…
A Região Metropolitana de Porto Alegre possuía 133,1 mil pessoas ocupando postos de trabalho na área da saúde. Aproximadamente, 77% desse total de trabalhadores da saúde são mulheres, sendo que a maior parte delas recebem até 2 salários mínimos, enquanto a maior parte dos homens estão concentrados na faixa de acima de 20 salários mínimos. Esses dados fazem parte do estudo “Mundo do trabalho na Região Metropolitana de Porto Alegre” desenvolvido pelo Observatório da realidade e das políticas públicas Vale do Rio dos Sinos e o Observatório…
Em meio a esse cenário de pandemia, 859 mil pessoas foram afastadas do trabalho no mês de maio no Rio Grande do Sul. Desse total, 356 mil (41,5%) deixaram de receber a remuneração gerada pelo trabalho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. O número de desempregados no estado no mês de maio alcançou 480 mil pessoas. Estes dados do sistema de saúde foram sistematizados pelo ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de…
Os dados do mercado de trabalho formal expõem a gravidade da pandemia no saldo de postos de trabalho. Apenas 45 dias de pandemia representou um saldo negativo próximo da mesma magnitude de 2015, ano da crise econômica, política e social, da qual ainda não nos recuperamos até hoje. O ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, apresenta um panorama do mercado de trabalho no primeiro trimestre de 2020.  Eis os números. A taxa de desocupação na Região Metropolitana de Porto Alegre atingiu 9,8% no primeiro trimestre…
Semana passada foram divulgados os primeiros dados sobre o mercado de trabalho formal do ano de 2020. O Ministério da Economia havia interrompido a divulgação no final de março, deixando disponível apenas os dados de 2019. A alegação era que os empregadores não estavam repassando as informações para o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED. O Brasil fechou 1,1 postos de trabalho entre o mês de março e abril de 2020. O resultado em abril foi ranqueado pelos estados de São Paulo (-260.902), Minas…