Trabalho (98)

No ano de 2018 em Porto Alegre, 16,2% dos jovens não estudavam nem trabalhavam, os ricos possuíam rendimento 15 vezes maior que os pobres, as mulheres tinham uma renda 32% menor que os homens e trabalhadores pretos e pardos ganhavam 54% a menos que os brancos. Estes dados revelam um panorama de profunda desigualdade na realidade porto-alegrense e se tornam um importante instrumento para o debate acerca da formulação e implementação de políticas públicas que objetivem combater a pobreza multidimensional e as históricas desigualdades de…
O mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre apresentou mais admissões do que demissões nos meses de agosto e setembro. Apesar do maior número de trabalhadores jovens, observam-se contratos com remuneração mais baixa, especialmente salários menores que R$ 1.500,00. Para os municípios do Vale do Sinos, destaca-se o enxugamento das contratações no setor da indústria de transformação. Confira abaixo o texto com as informações mais detalhadas do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED. Geração e gênero Os dados do Cadastro Geral…
O mercado formal de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre apresentou importantes movimentações no ano de 2018. A região empregou formalmente 1.280.886 trabalhadores, sendo 27% localizados nos catorze municípios da região do Vale do Sinos. Observa-se que quase metade dos assalariados da região metropolitana possuíam ensino médio completo e 47% dos contratados recebiam rendimentos entre 0,50 e 2 salários mínimos. Em contrapartida, o número de contratações entre 2017 e 2018 diminuiu na região do Vale do Sinos: houve uma queda de 4.193 postos de…
Maior contratação de jovens, cargas horárias mais reduzidas e baixos salários são algumas das características do mercado de trabalho formal na Região Metropolitana de Porto Alegre para o primeiro semestre de 2019.  Dados coletados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados revelam um saldo positivo no número de trabalhadores na região, todavia, há uma queda no número de horas trabalhadas semanalmente. Ademais, 72% dos trabalhadores contratados neste período recebem entre 0,50 e 1,50 salário mínimo, apesar da maior contratação de pessoas com ensino superior completo…
Com os dados do mês de maio de 2019 disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED, o Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos - ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU , sistematizou algumas importantes movimentações a respeito do mercado formal de trabalho na Região Metropolitana de Porto Alegre. Nota-se que, apesar da maior contratação de jovens, o quinto mês deste ano fechou com um saldo negativo de 2.291 postos de trabalho. Aproximadamente metade…
O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos - ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, acessou as bases de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED, bem como  da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD Contínua, com o intuito de apresentar as movimentações do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre do mês de abril e do primeiro trimestre deste ano. Confira abaixo o texto completo. Primeiro trimestre de 2019…
A reforma da Previdência apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro propõe retirar o abono dos trabalhadores formais. O abono é um benefício pago a quem ganha menos de 2 salários mínimos e tem pelo menos 5 anos de cadastro no Programa Integração Social - PIS. O trabalhador recebe 1/12 do salário mínimo multiplicado pelos meses que trabalhou no ano, caso tenha trabalhado por pelo menos 30 dias no ano-base considerado para apuração. Com a reforma da Previdência, o governo propõe que o benefício seja restrito a…
O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos - ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, acessou as bases de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED com o intuito de apresentar as movimentações do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre do mês de março e do primeiro trimestre. O destaque vai para o setor da construção civil, que registrou uma movimentação de 797 postos de trabalho a menos. Confira abaixo o…
A Carta do Mercado de Trabalho produzida pelo Observatório Unilasalle: Trabalho, Gestão e Políticas Públicas contempla dados acerca do mercado de trabalho formal no Brasil, no estado do Rio Grande do Sul, na Região Metropolitana de Porto Alegre e no município de Canoas referentes ao mês de março de 2019. O documento apresenta informações que englobam a evolução do emprego por setor de atividade econômica e respectivos números de admitidos e desligados. As fontes dos dados partem dos registros administrativos do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados…
O segundo mês de 2019 registrou movimentações importantes acerca do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre - RMPA: mais homens foram contratados (e demitidos) do que mulheres, houve maior admissão de jovens e desligamento de pessoas acima de 50 anos, metade dos trabalhadores empregados possuía o ensino médio completo e os setores de comércio e serviços representaram mais de 70% das contratações. O Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos - ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos…