Movimento global “Liberte-se dos combustíveis fósseis” mobilizará milhares de brasileiros em quatro estados

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Cenas de um filme de terror da vida real. Os 30 anos do massacre de Ignacio Ellacuría e seus companheiros

    LER MAIS
  • Aumento de mortalidade no país está diretamente ligado a corte de verbas no SUS

    LER MAIS
  • Papa Francisco quer incluir 'pecado ecológico' na doutrina oficial da Igreja, após Sínodo da Amazônia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

01 Março 2016

Como resposta direta aos resultados da COP 21, insuficientes para conter as mudanças climáticas, a 350.org Brasil e parceiros organizam em quatro estados a ação global “Liberte-se dos combustíveis fósseis” (Break Free). A ação será realizada entre 1 e 15 de Maio, simultaneamente em diversos países para mostrar à indústria dos combustíveis fósseis que queremos um futuro renovável e com água limpa.

Publicamos a seguir a nota da Coalizão Não Fracking Brasil e pela Sustentabilidade - COESUS.

Eis a nota.

Organizada pelo movimento climático 350.org e entidades parceiras como a COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil e pela Sustentabilidade, a campanha será lançada com objetivo de mobilizar milhões de pessoas no mundo para pressionar a indústria do hidrocarboneto e os governos locais a manterem os combustíveis fósseis no subsolo e acelerar a transição justa para 100% de energia renovável e para um futuro sustentável para todos nós.

“Estamos organizando junto com comunidades tradicionais uma série de eventos em vários estados, com apoio de centenas de entidades e voluntários, para demonstrar que nós, cidadãs e cidadãos brasileiros, vamos lutar para que os combustíveis fósseis fiquem no subsolo”, afirma Nicole Figueiredo de Oliveira, diretora da 350.org Brasil e América Latina.

Vários países estão se mobilizando para se libertar dos combustíveis fósseis, entre eles Estados Unidos, Canadá, Espanha, Alemanha, Indonésia, Filipinas e Nigéria.

No Brasil, está sendo articulada uma programação escalonada em quatro regiões: Vale do Javari, no Acre, Usina Termoelétrica Pecém no Ceará, no Estaleiro de Jurong Aracruz no Espírito Santo e em Londrina e Maringá, no Paraná.

Para maiores informações sobre as ações e detalhes da campanha, acesse aqui e saiba como participar.

A expectativa é que um número nunca antes visto de pessoas se comprometa a participar de ações que desestabilizem o poder da indústria, tendo como alvo os projetos ligados aos combustíveis fósseis mais perigosos e desnecessários ao planeta e apoiando as soluções climáticas mais ambiciosas.

“Cada um é peça fundamental neste processo, e será responsável por algo grandioso, que nenhuma outra organização já fez no mundo: mobilizar milhares de pessoas para dizer não aos fósseis em algum grande projeto”, destaca Nicole.

Mudanças Climáticas

A 350.org Brasil defende o desinvestimento nos combustíveis fósseis para conter as mudanças climáticas e mostrar que as energias renováveis são fundamentais para construirmos o futuro justo e sustentável do qual precisamos.

Nicole lembra que 2015 foi ano mais quente da história, já que as emissões ultrapassaram 400 partes por milhão (ppm) de concentração de CO² na atmosfera. “Só estaremos seguros caso consigamos reduzir para 350 ppm. Para isso, teremos que promover uma mudança histórica e global em nosso sistema energético, e tem que ser agora”, alerta.

Não Fracking Brasil

Parceiro da 350.org Brasil na ação “Liberte-se dos combustíveis fósseis”, o coordenador da COESUS - Coalizão Não Fracking Brasil e pela Sustentabilidade, Eng. Dr. Juliano Bueno de Araujo, ressalta a importância do engajamento das entidades organizadas da sociedade, parlamentares e população: “Queremos ser donos do nosso destino e chegou a hora de dizer que não vamos admitir que a indústria do hidrocarboneto continue a colocar a nossa vida em risco”.

Fundador da COESUS, Juliano desenvolve no Brasil desde 2013 a campanha contra o fraturamento hidráulico, chamado Fracking, tecnologia altamente poluente para extração de petróleo e gás de xisto do subsolo.

Além de contaminar a água, tornar o solo improdutivo, poluir o ar e causar câncer nas pessoas e animais, fracking é um dos principais causadores das mudanças climáticas pela emissão sistemática do metano. Não bastasse, o fraturamento hidráulico também já está associado à ocorrência de terremotos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Movimento global “Liberte-se dos combustíveis fósseis” mobilizará milhares de brasileiros em quatro estados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV