“Ponha-se de pé, não fique calada”. Católicas alemãs voltarão a clamar pela igualdade na Igreja

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O Sínodo Mundial é uma preparação para um futuro Concílio, afirma arcebispo de Praga

    LER MAIS
  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Setembro 2019

Volta a famosa Virgem de boca tapada. “Maria 2.0”, o movimento pela igualdade na Igreja das católicas alemãs, volta a ganhar forças. As fiéis do país alemão anunciaram que convocarão uma segunda semana de ações nacionais para superar o machismo na Igreja depois do êxito do seu boicote das missas de maio.

A reportagem é de Cameron Doody, publicada por Religión Digital, 30-08-2019. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Outubro é o mês que escolheram para a nova onda de protestos, segundo informa a agência KNA. Concretamente entre os dias 2 e 8.

Não somente porque é um mês tradicionalmente dedicado na Igreja à Virgem. Também o escolheram para coincidir com o Sínodo para a Amazônia, em Roma, que começa dia 6.

E que, como o Sínodo, a nova onda de ações se centrarão na necessidade de uma reforma na Igreja.

Entre outras coisas, as mulheres do movimento “Maria 2.0” clamam pelo acesso a todos os ministérios ordenados. Algo que também estará sobre a mesa naqueles dias no Vaticano.


"Renovar a Igreja", cartazes de convocação para mobilização das mulheres alemãs. Foto: WDR

“Acendamos o fogo Maria 2.0!”

No último maio, as organizadoras das ações animavam as fiéis a não entrarem nos templos – nem para comungar, nem para limpar, ainda que fossem voluntárias – durante uma semana. Também organizavam suas conversas e ofícios litúrgicos. Segundo as responsáveis, mais de mil grupos apoiaram a convocatória.

Porém nesse outubro será diferente. Mais que uma greve de missas, o enfoque está nos atos que organizam elas mesmas por si mesmas, sob o lema “Acendamos o fogo Maria 2.0!”.

“Já passou a hora para mudanças urgentes na Igreja”, insistem as organizados em seu convite à semana.

Haverá, como na última vez, vigílias e recolhimento de assinaturas, e as organizadoras preveem que centenas de grupos voltarão a tomar parte nas atividades.

Outro ato que organizaram à margem da semana central de atos é uma cadeia humana em torno da Catedral de Colônia para o 22 de setembro, com o slogan “Ponha-se de pé, não fique calada!”.

Também haverá um protesto pela igualdade de gênero na Igreja, próximo à plenária de outono dos bispos alemães, em 23 de setembro, em Fulda.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Ponha-se de pé, não fique calada”. Católicas alemãs voltarão a clamar pela igualdade na Igreja - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV