Governo Bolsonaro consegue ser o pior para os animais

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Padres despedaçados. Artigo de Pietro Parolin

    LER MAIS
  • Na igreja do Papa Francisco, os movimentos estão parando

    LER MAIS
  • Abusos, sínodo e a falsa prudência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Mai 2020

Jair Bolsonaro, com suas pautas que apregoam a defesa de “uma economia acima de tudo”, conseguiu piorar o que já era ruim.

A reportagem é publicada por Vegazeta, 19-05-2020.

Não dá pra negar que nenhum governo no Brasil realmente foi bom para os animais. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro, com suas pautas que apregoam a defesa de “uma economia acima de tudo”, conseguiu piorar o que era ruim. Bolsonaro já endossou uma crescente lista de práticas que vão contra o bem-estar animal.

Brasil tem hoje um governo que vê vantagem no fortalecimento da caça, que reconhece todos os tipos de rodeios como manifestações culturais (inclusive Bolsonaro sancionou em tom comemorativo a Lei da Vaquejada e o Dia Nacional do Rodeio), incluindo prova de laço, que consiste em perseguir e ferir um bezerro com 40 dias de idade (que sobrevive com traumas e vez ou outra morre na arena).

Determinadas práticas regionalistas jamais poderiam ser assimiladas como patrimônio nacional, já que além de entrarem em conflito com a Lei de Crimes Ambientais são modalidades que fazem parte da realidade de pequena parcela da população se considerada abrangência.

Se fizéssemos um referendo no país, creio que a maior parte da população diria que rodeios não acrescentam nada em suas vidas, e que bani-lo não faria falta. É muito estranho termos um governo com defensores da caça.

Não explorar animais como “ditadura do politicamente correto”

Até mesmo um dos ministros, Onyx Lorenzoni, é autor de um PL que fortalece ainda mais a prática, enquanto pesquisas já apontaram que a maior parte da população brasileira é contrária à caça – que hoje é permitida até com o uso de cães e armas brancas.

Jair Bolsonaro também já disse em várias ocasiões que ser contra o uso de animais como entretenimento é “ditadura do politicamente correto”. Ademais, até hoje não demonstrou preocupação com o aumento do número de espécies ameaçadas no país. Na realidade, o atual governo pediu para ocultar a lista de animais aquáticos ameaçados para não prejudicar o setor da pesca.

Bolsonaro não leva a sério mudanças climáticas nem mesmo impacto ambiental. Ele é da opinião de que tanto animais silvestres quanto as populações indígenas podem se adaptar “muito bem” ao agronegócio. Posição também já defendida por Xico Graziano.

Desde 2019, o governo assumiu a “missão” de exportar mais animais vivos para fora do país com fins de abate do que nunca – incluindo novos destinos como Cazaquistão, Vietnã e Laos. Também está se esforçando para despachar muito mais gado em pé para Turquia, Egito, Jordânia, Iraque, Líbano e Irã. Já foi comprovado que exportação de gado vivo é crueldade.

Governo considera lucro mais importante que o bem-estar animal

Submeter um animal a viagens com duração média de 21 dias passando pelos mais diferentes tipos de privação para morrer em outro país; isto sem considerar o impacto ambiental do descarte de resíduos na água.

Jair Bolsonaro também já afirmou que o melhor caminho para baixar o preço da carne é “criar mais boi”, ignorando a devastação causada pela agropecuária em relação ao desflorestamento, degradação e subutilização do solo.

Com essa consciência, fez lobby para o Banco do Brasil reduzir juros para o setor e liberar um novo crédito bilionário. Como não reconhecer que este é um péssimo governo para os animais?

O número de habilitação de frigoríficos no país cresce, assim como a liberação da pesca esportiva em áreas de conservação ambiental. Falando em contradição, e a Secretaria dos Animais que defensores dos animais que o apoiam tanto comemoraram? Simplesmente não existe nem vai existir. O governo já confirmou que não será mais criada. Ademais, nunca se fala em sustentabilidade, mas também, como falar em sustentabilidade defendendo tudo que foi citado?

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Governo Bolsonaro consegue ser o pior para os animais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV