Seis anos de Laudato Si': a teologia diante do colapso

Imagem: Unsplash. Edição: IHU

Por: Wagner Fernandes de Azevedo | 24 Mai 2021

 

O dia 24 de maio de 2021 marca os seis anos da assinatura da primeira encíclica ecológica escrita por um papa. Francisco revolucionou o entendimento do Ensino Social da Igreja, trazendo a concepção de Deus em todas as coisas e a responsabilidade comum sobre toda a Criação para o centro da vida e ação cristã. A Laudato Si' é um marco para a Igreja e para um urgente novo modelo de pensar e conviver. De 17 a 26 de maio de 2021, o mundo todo celebra a Semana Laudato Si' e o encerramento do Ano Laudato Si', convocado pelo Papa Francisco, refletindo sobre os avanços e desafios para a ecologia integral e as lições que a pandemia tem deixado para o futuro.

Nesta página, atualizamos uma lista com alguns dos materiais publicados pelo Instituto Humanitas Unisinos - IHU que auxiliam nesta reflexão.

 

A Laudato Si' inseriu na vida da Igreja questionamentos e diretrizes que diversos cientistas alertam há décadas: o mundo caminha para o colapso, é preciso mudar a inter-relação com natureza. No contexto da publicação estava a preparação para a 21ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que ocorreria em Paris no final de 2015, onde se assinaria o mais ambicioso acordo para conter a catástrofe climática. Se para muitos especialistas o Acordo de Paris já era frustrante à época, a ineficiência, inaplicabilidade e desprezo demonstrados nos anos posteriores despertou os últimos alarmes.

 

Recentemente, o ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon alertou que o momento se agravava: "a pandemia pode ser o último alerta da natureza". Para o teólogo Leonardo Boff, "vivemos hoje um momento dramático da história da humanidade". A revista La Vie, em artigo, que foi traduzido e publicado também pelo IHU, aponta que os grandes pensadores de hoje sobre o futuro são os colapsólogos, antropólogos e climatologistas. Para um desses, Bruno Latour, "o texto mais avançado sobre a questão da relação geossocial entre pobreza e ecologia é a encíclica Laudato Si’, escrita pelo Papa Francisco em 2015. Dizer que o grito da Terra e o grito dos pobres são um único e mesmo grito é um dos acontecimentos intelectuais fundamentais da época".

 

As percepções sobre o colapso vêm de diferentes matrizes de pensamento, mas esses pensadores têm em comum algo com a Laudato Si' inaugurado no pensamento cristão: ver o mundo, de forma ecológica, integral. A compreensão das relações e interações complexas entre tudo e todos é o desafio para compreender a totalidade da Criação. Segundo a teóloga e bióloga Celia Deane-Drummond, do Instituto Laudato Si' da Universidade de Oxford, "eis o verdadeiro significado da ecologia integral: temos que tentar pensar de forma mais holística, por mais desafiador que possa ser, e por mais tentador que é trabalhar em busca de 'soluções' isoladas para os problemas que enfrentamos. O verdadeiro desafio do cuidado da nossa casa comum é precisamente este: o comum a toda vida".

 

A pesquisadora, que concedeu entrevista ao IHU na celebração dos cinco anos da encíclica, destaca a importância do pensamento teológico sobre a catástrofe climática: "A teologia nos dá uma compreensão que ajuda a lidar com o sofrimento advindo das mudanças climáticas, bem como o imperativo moral a agir de um modo diferente. A teologia política preocupa-se com a responsabilidade moral – ou a falta dela – na governança, incluindo questões como direitos humanos e justiça ecológica".

 

A indígena Patricia Gualinga ponderou "que a reação à encíclica foi lenta", mas que "para os povos tradicionais, sempre tem sido muito claro que, como católicos, devemos aceitar, antes que seja tarde demais, que nosso habitat faz parte da criação de Deus e, portanto, é sagrado. E, como ser vivo, a criação tem seus direitos".

 

Para o frade Emanuel Afonso da Silva, "no que toca à proposta de uma espiritualidade ecológica, se faz necessário considerar que 'muitas coisas devem reajustar o próprio rumo, mas antes de tudo é a humanidade que precisa de mudar'".

 

O padre francês Bruno Marie-Duffé, secretário do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, compreende que a Laudato Si' já gerou essa revolução, no pensamento e na atividade humana: "Podemos dizer que estamos experimentando uma revolução do pensamento, da atividade humana e da relação entre o homem e o planeta, entre o indivíduo e os outros. Trata-se de uma revolução que também pode ser uma reconciliação entre as dimensões do vivo e as relações entre os seres vivos". Para Duffé, essa revolução é parte da essência da fé cristã, e aponta para uma solução: "se existe um antídoto para essas crises, ecológica, econômica, social e de saúde, que se sucedem e se retroalimentam, é no pensamento de que a morte não tem a última palavra: nossa fé está em um homem que ressuscitou da morte".

 

Abaixo, confira alguns dos eventos promovidos pelo IHU neste último ano referentes à catástrofe climática e às novas formas de pensamento que dialogam com a proposta da Laudato Si':

 

Ciclo A (In)existência de um mundo comum. Pensamento vivo e mudanças possíveis à luz de Bruno Latour

 

Diante de Gaia: Oito conferências sobre a natureza no Antropoceno - Rodrigo Petrônio (FAAP)

 

Políticas da natureza: Como associar as ciências à democracia - Letícia Cesarino (UFSC) e Marcos Matos (UFAC)

 

Onde aterrar? Como se orientar politicamente no antropoceno - Alyne Costa (PUC-Rio) e Tatiana Roque (UFRJ)

 

Semana Laudato Si'

 

Oportunidades Importantes em 2021 para gerar mudança: um chamado para um caminho integral

 

Diálogo Laudato Si’ sobre Educação

 

Semeando Esperança para o Planeta: Rede de Oração pelo Cuidado da Criação

 

Diálogo Laudato Si’ sobre Energia e Combustíveis Fósseis: O ritmo do desinvestimento católico global

 

Emergência Climática - Ecologia integral e o cuidado da Casa Comum

 

Urgência Climática e os Riscos para o Brasil - Carlos Nobre (USP)

 

O Sínodo Pan-Amazônico. Uma abordagem teológico-pastoral - Paulo Suess (CIMI)

 

Economia a serviço do bem comum. Desafios e perspectivas pós-pandemia - Stefano Zamagni (Universidade de Bologna)

 

Revista IHU On-Line

 

O ECOmenismo de Laudato Si’
Da Crise Ecológica à Ecologia Integral

Frente ao paradigma tecnocrático dominante, a Carta Encíclica do Papa Francisco Laudato Si’ sobre o cuidado da casa comum coloca em causa o lugar do ser humano na contemporaneidade. O texto se inscreve no contexto da realização da 21ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas - COP 21, em Paris, ocorrida de 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015.

A edição 469 da revista IHU On-Line debate o documento pontifício no contexto das mudanças climáticas que desafiam o cuidado da casa comum. Participam do debate 23 pesquisadores e pesquisadoras das mais variadas áreas do conhecimento: biologia, física, geologia, meteorologia, sociologia, antropologia, economia, história, teologia e filosofia. Dentre os quais estão: Josh Rosenau, Gäel Giraud, Moema Miranda, Carlos Rittl, Jennifer Morgan, Veerabhadran Ramanathan, Paulo Suess, Chiara Frugoni, Patrick Viveret, José Roque Junges e Michael Czerny.


Clique na capa para ler


Trechos da Laudato Si'. Arte: Natália Froner | IHU

 

 

Laudato Si' no Medium

O IHU separou uma coletânea de textos sobre a Laudato Si' no Medium. Em cada story há uma seleção de textos que dialogam com a proposta da Laudato Si' transversalizando com debates contemporâneos. Confira o material clicando nos banners abaixo.

 

Cadernos Teologia Pública

 

Laudato Si’ e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: uma convergência?
Artigo de Gaël Giraud e Philippe Orliange

Por ter sido publicada em 18 de junho de 2015, alguns meses antes da Conferência de Paris sobre o clima, a encíclica Laudato Si’ foi voluntariamente lida, no contexto das negociações internacionais sobre o clima, como uma contribuição da Santa Sé para o esforço coletivo de se chegar a um acordo universal. Na França, a realização da Conferência de Paris ofuscou um pouco os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos em setembro de 2015 sem debate nem encenação, após um processo de negociações iniciado em 2013. No entanto, é com os ODS e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, que se deve comparar a encíclica de Francisco. Laudato Si’ e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável têm uma ambição universal em comum: ambos examinam as relações entre clima e desenvolvimento, ambos formulam respostas coletivas para desafios mundiais. Porém, o lugar ocupado por cada uma das duas instituições portadoras desses dois registros de discurso é certamente muito diferente: de um lado, a Igreja católica e, do outro, a “comunidade internacional” em sua perspectiva onusiana. Haveria uma visão convergente? O que ela significaria nas relações que a Igreja mantém, hoje, com “a” sociedade globalizada?


Clique na capa para ler

 

Laudato Si’, o pensamento de Morin e a complexidade da realidade
Artigo de Giuseppe Fumarco

O artigo analisa a relação entre a encíclica Laudato Si’ e o pensamento de Morin sobre a complexidade da realidade, tendo como transfundo a “crise civilizacional”, provocada pelo próprio ser humano e experimentada em suas múltiplas e interligadas dimensões culturais, sociais, econômicas e climáticas.


Clique na capa para ler

 

A encíclica Laudato Si' e os animais
Artigo de Gilmar Zampieri

O texto faz uma leitura crítica da encíclica Laudato Si’, do Papa Francisco, mostrando o alcance da ecologia integral e os seus limites quando se pensa uma questão específica como é o caso dos animais e seus direitos. Entre os humanos e o meio ambiente, há os animais. Os animais não compõem o meio ambiente e não são recursos naturais que precisam ser preservados para o bem dos humanos. Os animais não compõem a paisagem. Eles não são coisas da natureza, eles são alguém com interesses e direitos que merecem nosso respeito, e não somente nossa compaixão. Nesse aspecto é um erro dizer que a crise atual é socioambiental. Mais correto então seria dizer que a crise é sócio-animal-ambiental. O texto, portanto, tematiza e problematiza a Laudato Si’ desde a perspectiva de uma ética e teologia da libertação animal


Clique na capa para ler

 

IHU Comunica

 

O Ensino Social da Igreja à luz do Pontificado do Papa Francisco - Prof. Dr. Gaël Giraud - CNRS

 

A Carta Encíclica Laudato Si’ do Papa Francisco sobre o cuidado da casa comum

 

Laudato Si’, teoria da complexidade e ecologia integral – Prof. Dr. José Roque Junges

 

Leia mais

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV