Aquecimento global aumenta os fenômenos climáticos extremos

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “A pastoral com as pessoas LGBT deve fazer parte do caminho sinodal”, defende o cardeal de Bolonha

    LER MAIS
  • As origens do termo “gaúcho” e nossas heranças indígenas. A história que não te contam

    LER MAIS
  • Os padres das novas gerações e o ‘modelo’ padre Pino Puglisi: uma distância intransponível?

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


10 Março 2021

Um exemplo são as temperaturas geladas que atingiram o Texas e toda a região central dos Estados Unidos, as mais intensas dos últimos tempos. O professor Paulo Artaxo explica o fenômeno.

A reportagem é de Simone Lemos, publicada por EcoDebate, 09-03-2021.

Região central dos Estados Unidos registra o frio mais intenso dos últimos 30 anos – Arte de Lívia Magalhães sobre imagem de Wikipédia

Temperaturas extremamente geladas, chegando a 20 graus abaixo de zero, atingiram o Estado do Texas e toda a região central dos Estados Unidos, normalmente de clima quente. Esse foi o frio mais intenso dos últimos 30 anos e, em alguns lugares, do último século, e já está sendo chamado de “Surto Ártico”. Moradores ficaram sem energia elétrica, pessoas morreram, estradas congelaram, causando acidentes e mortes, plantações, animais e até a produção de petróleo, que depende da eletricidade interrompida, foi afetada.

Paulo Artaxo, professor do Instituto de Física da USP, explica que “isso foi causado pelo enfraquecimento do que chamamos de correntes atmosféricas do vórtex polar ártico. Tanto a região polar ártica quanto a antártica são mais ou menos isoladas do restante do planeta, o que ajuda a manter o clima tão frio nas duas regiões, por correntes atmosféricas que isolam o ártico das regiões de clima mais temperado tanto nos Estados Unidos quanto na Europa e na Sibéria. Esse chamado ‘Surto Ártico’ foi basicamente uma quebra dessa circulação atmosférica que isolava a região ártica das regiões mais temperadas do nosso planeta”. O aquecimento global vem afetando o clima de várias maneiras. “A região ártica é uma das regiões que estão se aquecendo mais rapidamente e vários surtos árticos vêm ocorrendo. Isso faz com que o clima dessas regiões tenha alterações dramáticas.”

O Texas é conhecido por ter uma economia ligada à agropecuária, indústria da tecnologia e ao petróleo e derivados, que tiveram sua produção afetada pela falta de energia. “A região é uma grande produtora de soja, que compete com o Brasil na produção mundial. Este ano vai haver uma quebra recorde da safra dos Estados Unidos causada por essa onda de frio intenso. Agricultura, meio ambiente e produção de frango e carne também vão sofrer com essa mudança climática”, diz o professor.

O Planeta está sofrendo uma onda muito forte de fenômenos climáticos extremos, o que já era previsto pelos modelos climáticos. Isso é uma das consequências do aquecimento global provocado pelo homem, e a reversão dessa situação só é possível através da redução de emissões de combustíveis fósseis e do desmatamento, como o que ocorre na floresta amazônica.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aquecimento global aumenta os fenômenos climáticos extremos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV