‘Voltar ao mundo pré-pandêmico seria suicídio’, afirma Prêmio Nobel da Paz

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Só um radical ecossocialismo democrático pode mudar o horizonte

    LER MAIS
  • Seu bispo necessita dos seus conselhos: o que dirá a ele?

    LER MAIS
  • Dinâmica religiosa nos Estados Unidos. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


21 Dezembro 2020

“Estou tentando apontar a situação do mundo na época pré-pandêmica. A pandemia parou a máquina econômica. Então, o mundo derrapou economicamente. Agora, um esforço está sendo feito por governos e empresas para voltar à situação pré-pandêmica, para que a economia alcance a mesma velocidade de antes. Estou insistindo que a nossa política deveria ser de não voltar para aquele mundo, porque ele estava levando ao fim da existência da humanidade através do aquecimento global, do processo de extrema concentração de riqueza e da invasão da inteligência artificial, que torna o homem redundante no mundo. Os cientistas têm nos alertado que o aquecimento global não nos permite muito mais tempo neste planeta. A contagem regressiva começou. Voltar ao mundo pré-pandêmico seria suicídio. Agora, que a economia parou, podemos reorientá-la em uma direção diferente, em direção a um mundo de três zeros: zero emissão de carbono, zero concentração de riqueza e zero desemprego. Sabemos como chegar lá. O que precisamos fazer é tomar uma decisão ousada e abandonar o caminho antigo”, afirma Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz, em entrevista publicada no jornal O Estado de S. Paulo, 20-12-2020.


‘Estamos em uma grande festa dentro de uma casa em chamas’


Segundo Yunus, “não temos outra opção que não seja redesenhar o sistema. Estamos vivendo em uma casa em chamas, mas o sistema nos mantém alheios a isso. Estamos nos mantendo ocupados com uma grande festa dentro de uma casa em chamas. Estamos celebrando nosso crescimento econômico e os milagres tecnológicos, cantando músicas de prosperidade e ignorando completamente que nossa própria festa está colocando lenha em uma fogueira que queimará nossa casa. Jovens em todos os países estão percebendo isso e tentando se desvencilhar da festa”.

A íntegra da entrevista pode ser lida aqui.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

‘Voltar ao mundo pré-pandêmico seria suicídio’, afirma Prêmio Nobel da Paz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV