Francisco ao Serviço Jesuíta Refugiados - SJR: amplificar a voz dos abandonados

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Refazer os padres, repensando os seminários. Artigo de Erio Castellucci

    LER MAIS
  • Por que os bispos dos EUA não defendem o Papa Francisco dos ataques das mídias estadunidenses?

    LER MAIS
  • Com inflação e cortes, auxílio emergencial que comprava cesta básica hoje compra só 23%

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Novembro 2020

O Papa escreve uma carta para o 40º aniversário de fundação do Serviço Jesuíta para Refugiados (SJR): “É sua tarefa vital estender a mão da amizade aos que estão sozinhos e separados de suas famílias”.

A reportagem é de Emanuela Campanile e Mariangela Jaguraba, publicada por Vatican News, 12-11-2020.

Um caminho de quarenta anos inspirado e alimentado pelo exemplo de Cristo e pela intuição generosa do fundador, o Servo de Deus pe. Pedro Arrupe. É assim que, incessantemente, o Serviço Jesuíta para Refugiados (SJR) avança entre as linhas tortas, parafraseando um provérbio judeu, da história do mundo.

As palavras e a oração do Papa Francisco acompanham e fortalecem neste aniversário histórico, meta e novo início, o organismo internacional da Companhia de Jesus e todos aqueles que pedem ajuda. Numa Carta ao reverendo Thomas H. Smolich SI, diretor internacional do SJR, Francisco escreve:

Meus pensamentos vão especialmente para os muitos homens, mulheres e crianças que recorrem ao SJR em busca de refúgio e assistência. Eles sabem que o Papa está próximo deles e de suas famílias e que se lembra deles em suas orações. Este desejo intimamente cristão e Inaciano de cuidar do bem-estar de todos aqueles que se encontram em estado de profundo desespero inspirou e orientou o trabalho do SJR nos últimos 40 anos.

Dos anos 80 até a pandemia de hoje

Uma história de proximidade, que começou nos anos 80 com “o boat people vietnamita” (fuga de barcos dos vietnamitas) e “continua até hoje, com a pandemia de coronavírus”, enfatiza Francisco, lembrando como esta situação “deixou evidente que toda a família humana está ‘no mesmo barco’, enfrentando desafios econômicos e sociais sem precedentes”.

Estender a mão aos que estão sozinhos

Atualmente, os programas do SJR estão em 56 países, servindo refugiados e outros deslocados forçados em áreas de conflito e centros de detenção, fronteiras remotas e cidades lotadas. Existem muitos programas de assistência pastoral e apoio psicossocial nos centros de detenção e nos campos de refugiados, assim como ajuda humanitária em situações de deslocamento de emergência.

Os programas de educação e subsistência também visam formar competências para criar oportunidades de integração nas comunidades anfitriãs. “É sua tarefa vital”, afirma Francisco na carta, “estender a mão da amizade aos que estão sozinhos, separados de suas famílias, ou abandonados, acompanhando-os e amplificando sua voz e, sobretudo, garantindo-lhes a oportunidade de crescer através de seus programas de educação e desenvolvimento”:

O seu testemunho do amor de Deus no serviço aos refugiados e migrantes é fundamental para construir uma “cultura do encontro” que lança as bases de uma solidariedade autêntica e duradoura para o bem da família humana.

Olhando para o futuro

Além do presente, o Papa Francisco olha para o amanhã com esperança na intercessão da Virgem Maria, a quem confia todos os membros do apostolado do SJR:

Olhando para o futuro, estou convencido de que nenhum retrocesso ou desafio, pessoal ou institucional, poderá distraí-los ou desanimá-los de responder generosamente ao chamado urgente de promover a cultura de proximidade e encontro através da defesa determinada dos direitos daqueles que vocês acompanham todos os dias.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco ao Serviço Jesuíta Refugiados - SJR: amplificar a voz dos abandonados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV