Pesquisadores encontram microplásticos na neve do Ártico

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Não tenho nenhuma esperança de que o Governo Bolsonaro ainda se empenhe em transmutar sua visão a respeito da Amazônia. Entrevista com Dom Erwin Krautler

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Agosto 2019

Microplásticos na neve do Ártico sugerem poluição atmosférica generalizada.

A reportagem é publicada por EcoDebate, 15-08-2019.

O vento desempenha um papel no transporte de microplásticos (fragmentos plásticos com menos de cinco milímetros de comprimento) para as ruas cobertas de neve das cidades europeias e áreas remotas do Oceano Ártico – onde os ecossistemas já estão estressados pelos efeitos da mudança climática.

As altas concentrações encontradas em amostras de neve de regiões díspares sugerem que os microplásticos – que podem conter verniz, borracha ou produtos químicos usados em tecidos sintéticos – causam poluição do ar significativa. Além disso, estudos anteriores mostraram que os microplásticos podem contribuir para o risco de câncer de pulmão, destacando a necessidade urgente de avaliar melhor os riscos à saúde de inalá-los.

Para entender melhor como os microplásticos viajam até agora, o que tem sido uma questão, Melanie Bergmann et al. usaram uma técnica de imagem para analisar amostras de neve coletadas entre 2015 e 2017 de gelo flutuante no Estreito de Fram, uma passagem entre a Groenlândia e Svalbard para o Oceano Ártico. (Eles visitaram cinco blocos de gelo de helicópteros ou botes durante três expedições.)

Para comparação, os pesquisadores investigaram amostras dos remotos Alpes Suíços e da Cidade de Bremen, no noroeste da Alemanha. Eles observaram que, embora as concentrações de microplásticos na neve do Ártico fossem significativamente menores do que as concentrações na neve européia, os níveis desse poluente no extremo norte ainda eram substanciais.

A maioria das partículas estava na menor faixa de tamanho mensurável de menos de 11 micrômetros; tais partículas são mais propensas a serem absorvidas pelo transporte atmosférico, dizem os autores. Como a maioria dos estudos atualmente se concentra em partículas maiores que 200 ou 300 micrômetros, a medição de partículas menores permanece importante, a fim de avaliar realisticamente os microplásticos.

As altas quantidades de microplásticos na neve, como relatado aqui, sugerem que o transporte e a deposição atmosférica poderiam representar um caminho significativo para esses materiais em lugares distantes, dizem os autores.

Referência:

White and wonderful? Microplastics prevail in snow from the Alps to the Arctic
Melanie Bergmann, Sophia Mützel, Sebastian Primpke, Mine B. Tekman, Jürg Trachsel and Gunnar Gerdts
Science Advances 14 Aug 2019:
Vol. 5, no. 8, eaax1157
DOI: 10.1126/sciadv.aax1157

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pesquisadores encontram microplásticos na neve do Ártico - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV