Aquecimento Global: Cientistas revelam o efeito da perda de gelo marinho do Ártico

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS
  • Bolívia. Breve reflexão a partir do golpe de Estado de 10 de novembro de 2019

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

12 Março 2019

O aquecimento global está ocorrendo duas vezes mais rápido no Ártico do que em qualquer outro lugar na Terra. 

A reportagem é publicada por Institute of Atmospheric Physics, Chinese Academy of Sciences e reproduzida por EcoDebate, 11-03-2019. A tradução e edição são de Henrique Cortez.

O aumento do aquecimento no Ártico (ao norte de 67 ° N) foi confirmado em investigações observacionais recentes e simulações de modelos com aumento de emissões de gases de efeito estufa (GEEs).

O aquecimento global está ocorrendo duas vezes mais rápido no Ártico do que em qualquer outro lugar na Terra. No entanto, por que a maior amplificação do Ártico (AA) ocorre apenas em certos períodos em áreas com perda significativa de gelo do mar ainda está sob grande debate.

Cientistas da Universidade Estadual de Nova York, Albany e do Instituto de Física Atmosférica da Academia Chinesa de Ciências encontraram as respostas por meio da análise de dados históricos e simulações de modelos climáticos. Suas análises indicaram que a AA não diminuiria até os séculos 22 e 23, depois que quase todo o gelo marinho do Ártico se dissolveu com o aumento das emissões de GEE.

“O rápido aquecimento do Ártico e a perda de gelo marinho estão atraindo muita atenção da mídia, da comunidade pública e científica. Nosso estudo liga os dois e sugere que a perda de gelo marinho está causando o rápido aquecimento no Ártico”, disse o principal autor do estudo, Aiguo DAI, em um comunicado de imprensa.

“Quando o gelo do mar derreter completamente, este elevado aquecimento também desaparecerá e a taxa de aquecimento no Ártico será semelhante ao resto do mundo”, afirmou.

De acordo com esta pesquisa, a grande AA ocorre apenas de outubro a abril e somente na área de perda proeminente de gelo marinho. Isso ocorre principalmente porque o derretimento sazonal do gelo marinho de maio a setembro causa uma maior extensão da água do mar e absorve mais luz solar durante a estação quente, e a energia térmica é armazenada nas águas do Ártico. A maior parte dessa energia é liberada na atmosfera através de radiação de onda longa e fluxos de calor sensível e latente para aquecer a atmosfera durante a estação fria, quando o Oceano Ártico se torna uma fonte de calor, levando a uma grande AA.

Cientistas alertam que o derretimento do gelo marítimo do Ártico aumentará o aquecimento no Ártico nas próximas décadas e também pode afetar os padrões climáticos em latitudes médias, causando intrusões mais freqüentes de vórtices polares na China e nos EUA continentais, levando a eventos extremos.

A perda de gelo marinho desempenha um papel vital no extraordinário aquecimento do Ártico. (Imagem de Aiguo DAI)

Referência:

Dai A., D. Luo, M. Song and J. Liu. Arctic amplification is caused by sea-ice loss under increasing CO2. Nature Communications. 2019.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aquecimento Global: Cientistas revelam o efeito da perda de gelo marinho do Ártico - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV