Mais 2.700 bolsas de pesquisa da Capes são cortadas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O olhar sobre a “comunhão eucarística”: uma mudança de paradigma. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS
  • Becciu se defende: “A acusação de peculato é surreal. Não sou corrupto, posso provar isso em qualquer lugar”

    LER MAIS
  • Conferência Eclesial da Amazônia - CEAMA. "Tornar visível que o Sínodo está vivo", objetivo da Primeira Assembleia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Junho 2019

Em maio, o órgão já havia bloqueado 3.500 mil bolsas de mestrado e doutorado; MEC alega necessidade de ‘contingenciar gastos’.

A reportagem é de Thaís Chaves, publicada por CartaCapital, 04-06-2019.

Órgão de controle das pesquisas acadêmicas no Brasil, a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) anunciou nesta terça-feira 4 mais um corte em bolsas de estudo. Desta vez o bloqueio foi de 2.724 bolsas de mestrado e doutorado.

O argumento da entidade, que pertence ao Ministério da Educação, é de que o bloqueio é necessário devido aos contingenciamentos de recursos que a pasta está realizando. A decisão, que já era esperada, surge após o corte de 3.500 bolsas no mês de maio. O presidente da entidade, Anderson Ribeiro Correia, já havia então alertado para a possibilidade de mais cortes nos benefícios. No entanto, devido à repercussão negativa, 1.200 bolsas de cursos com os conceitos 6 e 7 foram reabertas.

Os conceitos são referentes às categorias que o órgão utiliza para avaliar os seus programas. Neste segundo corte, a entidade anunciou que as bolsas bloqueadas são referentes a cursos que foram avaliados em nota 3 ou 4.

Nos parâmetros da Capes, os cursos de pós-graduação podem ser avaliados de 3 a 7. É levado em conta, primordialmente, a produção científica do corpo docente e discente da universidade, a estrutura curricular do curso e a infraestrutura que a instituição dispõe para a pesquisa. A nota 3 é usualmente dada a cursos novatos em sua implantação e/ou a instituições que ainda não sejam reconhecidas por seus cursos. O conceito de nota 5 é utilizado para cursos de excelência nacional e as notas 6 e 7 aos cursos de qualidade internacional.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mais 2.700 bolsas de pesquisa da Capes são cortadas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV