Em nova derrota do governo, ministro da Educação é convocado para falar no plenário da Câmara

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • A barbárie com rosto humano. Artigo de Slavoj Zizek

    LER MAIS
  • CNBB propõe que Domingo de Ramos seja celebrado de modo especial em tempos de coronavírus

    LER MAIS
  • “Pai Nosso”... também hoje. Artigo de José Antonio Pagola

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Mai 2019

Em uma articulação de última hora entre líderes da oposição e do Centrão e do líder do PSL, delegado Waldir (GO), o plenário da Câmara dos Deputados acaba de aprovar a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para prestar esclarecimentos aos parlamentares contra o corte de 30% no recurso das universidades federais. Foram 307 votos a favor, 82 contra.

A reportagem foi publicada por revista Fórum, 14-05-2019.

O ministro já falaria em comissão da Câmara, mas, diante do descontentamento dos partidos com o governo Jair Bolsonaro, optou-se por uma forma diferente de sabatina. Weintraub deve comparecer à Casa em um dia de intensas manifestações no país contra os cortes de orçamento de universidades. Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da Minoria, defendeu a convocação do ministro. “Nesta semana teremos obstrução total de MPs e a convocação do ministro da Educação para vir já amanhã (quarta-15)”, declarou a deputada.

Alessandro Molon (PSB-RJ) também defendeu a presença do ministro em plenário. “Amanhã o Brasil estará nas ruas protestando contra os cortes na Educação. E nada mais necessário que o ministro esteja aqui no plenário para prestar esclarecimentos”, avaliou. O líder do governo, major Victor Hugo (PSL-GO) orientou contra, porém pela quantidade de votos a favor da presença do ministro no plenário a orientação não surtiu efeito.

Em meio à polêmica do corte de orçamento de todas as universidades federais, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reafirmou semana passada durante audiência na Comissão de Educação do Senado Federal que não houve corte de recursos, mas contingenciamento. Na audiência ele condicionou a volta dos recursos à aprovação da Reforma da Previdência.

Vale lembrar que o último ministro convocado ao plenário para prestar esclarecimentos, Cid Gomes, deixou a Casa demitido do cargo pela presidente da República, Dilma Rousseff.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em nova derrota do governo, ministro da Educação é convocado para falar no plenário da Câmara - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV