#FridaysForFuture. Segunda greve mundial em defesa do clima. O futuro volta às ruas

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Vaticano, roubadas da igreja estátuas indígenas consideradas “pagãs” e jogadas no Tibre

    LER MAIS
  • A peleja religiosa. Artigo de José de Souza Martins

    LER MAIS
  • Começa a hora da decisão para os bispos da Amazônia na semana final do Sínodo. Artigo de Thomas Reese

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Maio 2019

Na sexta-feira, 24, será realizada a segunda Global Strike for Future, a greve mundial em defesa do clima lançada pela jovem ativista sueca Greta Thunberg. No dia 15 de março passado foi realizada a primeira manifestação, com a mobilização de milhões de jovens.

A informação foi publicada por L'Osservatore Romano, 23/24-05-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

Novamente na sexta-feira, portanto, estudantes de todo o mundo tomarão as ruas e farão ouvir suas vozes em defesa do clima e para sensibilizar governos e empresas para que respeitem o planeta, a nossa "casa comum", como gosta de defini-lo o Papa Francisco.

Desta vez na Itália, em comparação com a última greve, no centro das reivindicações há uma solicitação específica - que deve ser somada àquelas já conhecidas como a eliminação dos combustíveis fósseis, a mobilidade limpa, a justiça social e climática – ou seja, uma declaração de emergência climática pelas municipalidades e pelo Estado italiano, seguindo o exemplo do que foi feito pelo Parlamento Britânico e pela Câmara Municipal de Milão.

Em 2 de maio último, de fato, a Câmara dos Comuns britânica aprovou uma moção apresentada pelo Partido Trabalhista que pedia a declaração de um estado de emergência ambiental no país, enquanto o conselho municipal de Milão aprovou em 20 de maio uma moção que obriga o prefeito “a declarar o estado de emergência climática e ambiental” na cidade em decorrência do qual uma série de medidas irão ser adotadas.

A outra novidade desta segunda greve diz respeito à capital, onde pela primeira vez ocorrerá uma passeata, em vez da manifestação clássica, à qual participarão físicos, geólogos e especialistas em clima.

Até o momento, há mais de 110 países que aderiram à iniciativa, enquanto na Itália, entre as nações mais ativas, são 126 cidades mobilizadas. Isso foi anunciado por #FridaysForFuture Roma através de um comunicado, informando que dezenas de escolas, as três universidades da capital e associações ambientalistas já deram seu apoio à greve convocada. Também em Roma, um "flash mob astronômico" foi organizado no Gianicolo contra a poluição luminosa.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

#FridaysForFuture. Segunda greve mundial em defesa do clima. O futuro volta às ruas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV