Mega milionários globais: Covid já esquecido, superados os 10 trilhões

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Discernimentos depois da Primeira Assembleia Eclesial. Artigo de Paulo Suess

    LER MAIS
  • Formação e espiritualidade do Ministro Extraordinário da Eucaristia

    LER MAIS
  • Paris, o Papa aceita a renúncia de Aupetit

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Outubro 2020

A polarização está crescendo até mesmo entre os mais ricos: avançam setores das Tech e healthcare, estanca o imobiliário. O grupinho volta a crescer na Itália: 40 pessoas com 165 bilhões de patrimônio.

A reportagem é de Raffaele Ricciardi, publicada por Repubblica, 07-10-2020. A tradução é de Luisa Rabolini.

Existem os Messi e Cr7 dos mega milionários, como Jeff Bezos (Amazon) e Elon Musk (Tesla) que acumulam respectivamente em 183 e 101 bilhões de dólares de patrimônio, com crescimento em 2020 oscilando em torno de 70 bilhões de dólares. Mas é toda a turma dos bilionários globais que está comemorando, apesar do Covid: pela primeira vez na história, sua riqueza - levantada pelo relatório UBS e PwC - ultrapassa os 10 trilhões. Até o grupinho italiano se recupera depois de um período de calmaria: agora são 40, contra os 36 da última radiografia, com 165 bilhões à disposição.

O crescimento dos mega milionários apesar do Covid

Após o declínio vinculado aos meses mais duros da pandemia, caracterizado por uma reação nos mercados de valores, os patrimônios dos super ricos recomeçaram a subir, detonando o recorde de 8.900 bilhões que havia sido alcançado no final de 2017. O relatório atualiza a contagem no final de julho passado, descontado o efeito da pandemia e a saída da crise, em 10,2 bilhões. Entre abril e julho, os bilionários conseguiram aumentar o valor de suas reservas em mais de um quarto. Um dado que se choca com um quadro bem diferente para o resto do mundo "normal": a Organização Internacional do Trabalho calculou que a pandemia eliminou 3,5 trilhões de dólares de renda do trabalho nos primeiros três trimestres do ano. Os bilionários pesquisados são agora 2.189 em comparação com 2.158 de 2017.

Inovadores premiados: tecnologia e saúdes

O mundo pós-pandêmico corre o risco de ser ainda mais polarizado: Josef Stadler, diretor dos escritórios familiares do UBS e, portanto, em contato diário com os grandes patrimônios, observou ao Guardian que "a concentração da riqueza está nos níveis de 1905" quando os Rockefellers & Co. dominavam. Para Stadler, é o resultado da acumulação de juros sobre juros, "que tornam as riquezas cada vez maiores". Porém, ele mesmo abre a questão sobre a sustentabilidade desse sistema: “Quando a sociedade vai intervir?”.

Mesmo dentro da turma dos ricos, estão se criando grupos de lebres e seguidores correndo atrás. A diferença identificada pelos analistas do banco suíço e da consultoria é a capacidade de ser "inovadores e disruptor", ou seja, trazer ao mercado empresas que mudam radicalmente o cenário, inventam novos produtos, derrubam estilos de consumo. Características que podem ser rastreadas em 94% dos bilionários do setor de tecnologia e em 71% da saúde, as verdadeiras forjas de mega milionários. Por outro lado, cai para 54% na indústria e 41% nos bens de consumo e varejo para despencar para 17% no setor imobiliário.

Não é por acaso, então, que de 2018 até o final de julho a riqueza acumulada no setor de tecnologia aumentou 42,5% para 1.800 bilhões de dólares - graças à corrida desenfreada (tanto que muitos veem o risco de uma "bolha") dos títulos da Nasdaq - ou de saúde aumentou 50,3%, para 658,6 bilhões, enquanto o crescimento geral foi limitado a 19,1%. No geral, os "inovadores" ficaram 17% mais ricos (5.300 bilhões de patrimônios), enquanto os tradicionais tiveram que se contentar com um crescimento de 6% (3.700 bilhões).

Houve várias subidas repentinas de mega milionários. Muito se falou de Musk, outros casos são menos conhecidos. A cotação da Hansoh Pharmaceutical na Bolsa de Valores de Hong Kong em 2019 impulsionou a fundadora, Zhong Huijhan, de uma função de professora para o trono dos bilionários da saúde. Na China continental, lembra o relatório, o engenheiro Frank Wang se tornou o primeiro bilionário voador graças a ter fundado e liderado a empresa de drones comerciais DJI, enquanto na Europa um dos "principais jovens inovadores" é Patrick Collison, programador irlandês ao qual se deve, em parceria com seu irmão, a plataforma Stripe.

Talvez justamente na tentativa de responder à grande polarização da riqueza, o relatório traça uma tentativa por parte dos novos ricos e de suas empresas de retribuir à sociedade: “Eles estão doando como nunca antes”. Durante a pandemia (março-junho), foram registados 209 doações pessoais em iniciativas de importância pública no valor de 7,2 bilhões, embora o valor possa estar subestimado devido à discrição daqueles que não tornaram público seu empenho. “Parece que os bilionários tomaram a pandemia como um estímulo para reconsiderar seu posicionamento, seus valores e estão se concentrando em garantir estabilidade e sustentabilidade para suas famílias, empresas e sociedade como um todo”.

O caso italiano: após a pandemia subida dos mega milionários para 165 bilhões de fortunas

Como mencionado, o estudo também oferece um levantamento sobre os 40 bilionários italianos: 49% deles são "self-made". Apesar do aumento registrado no final de julho, nos últimos cinco anos os super ricos resultam em dificuldade (eram 43 em 2015, depois caíram para 35 em 2018). A análise indica que a riqueza total da Itália caiu 12% em 2019, para US $ 125,6 bilhões. Mas mesmo na Itália, a recuperação pós-Covid foi forte: nos meses entre abril e julho de 2020, a riqueza voltou a aumentar em 31%, para 165,0 bilhões de dólares.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mega milionários globais: Covid já esquecido, superados os 10 trilhões - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV