Ratzinger e informações católicas: à sua imagem e semelhança

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Pedro descansa onde ele sonhou, na beira do Araguaia, entre um peão e uma prostituta

    LER MAIS
  • Sobre a carta dos bispos. Profetismo incompreendido

    LER MAIS
  • Bolsonaro quer reduzir em R$ 35 bilhões o orçamento do SUS para 2021

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Dezembro 2019

Em um comunicado, a Associação de Publicistas Católicos da Alemanha expressa sua perplexidade com a decisão de Bento XVI de criar e financiar uma fundação privada (Die Tagespost Stiftung) para a formação jornalística e de mídia vinculada a um único órgão de informação alemão (Die Tagespost). Desse modo, o papa emérito intervém diretamente na vida da Igreja na Alemanha em matéria de formação da opinião pública católica, ignorando completamente a Conferência Episcopal Alemã.

A reportagem é publicada por Settimana News, 19-12-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

A Associação de Publicistas Católicos da Alemanha (GKP) considera favoravelmente o interesse em apoiar novos profissionais no âmbito jornalístico e da informação e de um jornalismo de qualidade no campo da informação católica.

No entanto surpreende que o papa Emérito Bento XVI, que conhece o panorama da mídia na Alemanha, tenha considerado oportuno criar uma fundação privada para esses fins, vinculada a um único órgão de informações. Além disso, como ex-bispo de Mônaco, o "Instituto para a formação de publicistas" (IFP), fundado pela Conferência Episcopal Alemã e baseado precisamente na capital da Baviera, é obviamente uma realidade bem conhecida por Bento XVI. A IPF vem perseguindo com sucesso há décadas, sob o mandato dos bispos alemães, exatamente aquelas metas que o emérito Papa considera necessário sustentar.

Por ocasião do 50º aniversário da fundação do IFP, o Papa Francisco, durante uma audiência em que estavam presentes mais de 300 pessoas para assisti-lo, realizada em 9 de novembro de 2018, enfatizou que "a Alemanha pode se considerar com sorte por saber que entre os muitos jornalistas do país, existe um número significativo que vem do IFP - que trabalha tanto na mídia eclesial quanto naquela laica".

Nessa perspectiva, para o GKP parece ainda mais surpreendente o fato que o atual predecessor do papa considere apropriado confiar somas significativas, como promotor da fundação, a um único órgão de informação, ignorando completamente o IFP e, dessa maneira, a Conferência Episcopal Alemã.

O GKP espera que, com a nova fundação, se trate efetivamente de uma realidade que vise à formação e apoio do jornalismo católico, e não uma ferramenta para as relações públicas de um único órgão de informação e, portanto, para aquela que é a compreensão do trabalho de informação católica pública própria desse órgão de informações.

A GKP, neste contexto, deseja recordar uma frase do falecido cardeal Julius Döpfner, por muito tempo bispo de Mônaco. O ex-presidente da Conferência Episcopal Alemã e predecessor de Ratzinger como arcebispo de Munique assim escrevia por ocasião da fundação do IFP, 51 anos atrás: "O Instituto tem a oportunidade de desmontar a imagem tradicional de um jornalismo católico dependente e dar-lhe uma nova forma, que seja à altura dessa profissão".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ratzinger e informações católicas: à sua imagem e semelhança - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV