Cardeal Pell, condenado por abusar de dois coroinhas

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Arautos do Evangelho não reconhecem o Comissário do Vaticano, dom Raymundo Damasceno Assis

    LER MAIS
  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS
  • A virada autoritária de Piñera. O fracasso de um governo incompetente e corrupto

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Dezembro 2018

O cardeal Pell, ainda prefeito da Secretaria de Economia do Vaticano, foi declarado culpado de abusar sexualmente de dois coroinhas nos anos 1990, segundo anunciam os meios de comunicação australianos, que falam de um veredicto unânime do tribunal de Melbourne.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 12-12-2018. A tradução é do Cepat.

Caso se confirme, será a condenação do maior alto cargo da Igreja por um crime de pedofilia. A Santa Sé ainda não se pronunciou, mas na prática Pell já não atuava como superministro de Economia vaticano, e não participa das reuniões do C9, o grupo de cardeais que colabora com o Papa para a reforma da Cúria. No ano passado, o purpurado havia pedido uma dispensa a Roma para viajar a Melbourne e se defender das acusações contra ele, que sempre negou.

O julgamento veio precedido de uma forte polêmica, toda vez que se declarou o silêncio total e a proibição de publicar qualquer informação relativa ao caso. No entanto, após três dias de deliberações, vários meios de comunicação australianos já publicam que Pell foi considerado culpado por todas as atribuições. Uma decisão tomada por unanimidade.

Pell havia sido acusado de abusar sexualmente de dois coroinhas, durante uma viagem nos anos 1990, quando era bispo em Ballarat. O prelado sempre negou energicamente as acusações, e seu advogado, Robert Richter, enfatizava, em 2017, que há provas “volumosas” para demonstrar que “o que se alegou é impossível”.

“A todo o momento, fui completamente claro em minha total rejeição a estas acusações”, disse Pell, no ano passado. “A notícia destas responsabilidades fortalece minha resolução e os procedimentos judiciais agora me oferecem a oportunidade de limpar meu nome e, depois, retornar a Roma para trabalhar”.

Ainda não se conhece o conteúdo da sentença, nem a condenação que o cardeal precisará cumprir, que certamente apelará da sentença. Durante o caso, o purpurado residiu em uma casa da diocese, ainda que a Igreja australiana destacou que Pell pagava de seu bolso todos os gastos com a sua defesa.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Cardeal Pell, condenado por abusar de dois coroinhas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV