Prossegue a guerra suja dos ultraconservadores contra o Papa com um vídeo de uma música satírica

Revista ihu on-line

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Ore Ywy – A necessidade de construir uma outra relação com a nossa terra

Edição: 527

Leia mais

Sistema público e universal de saúde – Aos 30 anos, o desafio de combater o desmonte do SUS

Edição: 526

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Ore Ywy – A necessidade de construir uma outra relação com a nossa terra

Edição: 527

Leia mais

Sistema público e universal de saúde – Aos 30 anos, o desafio de combater o desmonte do SUS

Edição: 526

Leia mais

Mais Lidos

  • "Pela Democracia, pelo Brasil". Manifesto contra candidatura de Jair Bolsonaro

    LER MAIS
  • Teólogos e pastores reagem a apoio evangélico a Bolsonaro

    LER MAIS
  • Bolsonaro não controla mais o bolsonarismo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Fevereiro 2017

Vacinados contra o desânimo e sem medo do ridículo, os ultraconservadores anti-Francisco prosseguem em sua guerra aberta contra o Papa. Depois dos cartazes e da edição falsa do L’Osservatore Romano, lançam agora um vídeo satírico de uma música clássica de 1950, no qual denunciam um clima de medo e desqualificam totalmente o Pontificado de Bergoglio.

A reportagem é de José Manuel Vidal, publicada por Religión Digital, 17-02-2017. A tradução é de André Langer.

“That’s Amoris” intitula-se o vídeo que começou a circular no YouTube, em um jogo de palavras entre a clássica “That’s Amore” do ítalo-estadunidense Dean Martin e a exortação apostólica de 2016 Amoris Laetitia, alvo das críticas dos setores conservadores da Igreja pela abertura para com os divorciados recasados, entre outros eixos.

No vídeo satírico, divulgado na sexta-feira pela vaticanista Franca Giansoldati, encontra-se um elenco de críticas ao pontífice enfocadas nas “diferentes interpretações” da exortação. A certa altura, perguntam-se: “Onde está Müller?”, em referência a Gerhard, o cardeal alemão que é prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.

O vídeo investe, além disso, contra Jorge Bergoglio por não ter respondido à carta que quatro cardeais rebeldes lhe enviaram no ano passado pedindo-lhe precisões sobre a Amoris Laetitia, documento em que o pontífice expõe sua visão sobre o amor e a família com base nas conclusões dos Sínodos de Bispos de 2014 e 2015.

Além disso, a letra satírica critica o Papa por “insultar a todos e a cúria” durante as suas homilias e zomba da denúncia do Papa sobre a “coprofagia” no consumo de notícias falsas nos meios de comunicação.

A peça crítica chega, além disso, a se perguntar: “Quando seremos libertados desta cruel tirania?”

O vídeo, de acordo com matéria de Giansoldati publicada no jornal romano Il Messaggero, foi feito por John Henry Westen, fundador da organização pró-vida norte-americana Voice of the Family e co-fundador do site LifeSitenews.com.

Há duas semanas, os líderes das principais organizações pró-vida, dos Estados Unidos se reuniram com o cardeal Raymond Burke, um dos quatro signatários da carta sem resposta do papa e que o pontífice enviou nas últimas horas para a remota Ilha de Guam para investigar possíveis casos de abuso sexual.

Para apoiar o Papa Francisco clique aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Prossegue a guerra suja dos ultraconservadores contra o Papa com um vídeo de uma música satírica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV