Trigo. O sentido do bem que se esconde no pão

Mais Lidos

  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

13 Junho 2022

 

O trigo é o grão, o grão maduro, ou seja, seco, porque é quando a espiga seca completamente que o grão está maduro, e o trigo tem uma antiquíssima raiz indo-europeia, gere, que justamente tem o significado de seco, velho, portanto daí o grego geron.

 

O comentário é do romancista italiano Maurizio Maggiani, publicado por RobinsonLa Repubblica, 11-06-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

Frumento (em italiano), por outro lado, é o trigo depois da colheita, do latim fruere, gozar, usufruir. Tudo bem, mas há séculos não se faz mais essa distinção e trigo e frumento se tornaram praticamente sinônimos.

 

E, por sua vez, metáforas. Mesmo agora que estamos gordos e fartos de toda gulodice alimentar, falar trigo ainda significa algo muito maior do que um grão; ainda significa pão, e por incrível que possa nos parecer, enquanto não conseguimos comer um pãozinho inteiro e jogamos fora a metade, no som de pão reverbera algo inefável que diz respeito ao essencial do bem, e, ouvindo com atenção, percebemos se insinuar o silvo da fome e estremecemos.

 

Pão e fome, na opulência ainda resta o vestígio fóssil de um antigo grito de guerra, pão e trabalho; na sacola cheia de grissinis a quinze euros o quilo espreita um desejo ancestral de posse, a fartura poderia acabar. Meu pai me dava uma bofetada se me pegasse fazendo bolinhas com o miolo do pão, para ele o miolo já era uma fartura.

 

Agora começou uma nova guerra do trigo, sem sombra de metáfora, mas quem sabe realmente o que é frumento, já perdeu a guerra. "Senhor ajudai-nos a procurar pão para os que têm fome e a procurar fome para os que têm pão", Abbé Pierre.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Trigo. O sentido do bem que se esconde no pão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU