Papa denuncia “martírio” do povo ucraniano e evoca “genocídio” do Holodomor

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • A ruptura interna no tecido católico brasileiro. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS
  • “Não é uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia, é uma guerra pela reorganização da ordem mundial”. Entrevista com Maurizio Lazzarato

    LER MAIS
  • Vamos ao encontro de nossa própria destruição? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Novembro 2022

Francisco pede orações pela paz, após nove meses de guerra.

A reportagem é publicada por Agência Ecclesia, 23-11-2022.

O Papa denunciou hoje, no Vaticano, o “martírio” do povo ucraniano, após quase nove meses de guerra, iniciada pela invasão russa, a 24 de fevereiro.

“Rezemos pela paz no mundo e pelo fim de todos os conflitos, com um pensamento particular para o terrível sofrimento do querido e martirizado povo ucraniano. Pensemos na martirizada Ucrânia”, apelou, no final da audiência pública semanal, que decorreu no Vaticano.

Francisco afirmou que, neste sábado, acontece o “aniversário do terrível genocídio do Holodomor, o extermínio pela fome de 1932-1933, causado artificialmente por Stalin”.

“Rezemos pelas vítimas deste genocídio e pelos muitos ucranianos, crianças, mulheres, idosos, bebês, que hoje sofrem o martírio da agressão”, acrescentou.

A chamada “Grande Fome” ucraniana terá provocado a morte de milhões de pessoas, sendo ligada às políticas de coletivização forçada das propriedades agrárias, promovidas pelo regime comunista soviético.

Em 2008, no 75.º aniversário do Holodomor, o agora papa emérito Bento XVI deixou votos de que “nunca mais ordenamento político algum possa, em nome de uma ideologia, negar os direitos da pessoa humana, a sua liberdade e dignidade”, garantindo a sua “oração por todas as vítimas inocentes daquela tragédia”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa denuncia “martírio” do povo ucraniano e evoca “genocídio” do Holodomor - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV