Um dia sem carne, um dia para repensar o consumo

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Os 60 bebês do Amazonas: retrato de um futuro asfixiado

    LER MAIS
  • Elementos importantes para compreender o contexto trágico que vivemos na cidade de Manaus

    LER MAIS
  • As lições de São Sebastião para a Igreja peregrina e perseguida do século 21

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Junho 2016

Participe do Dia Mundial Sem Carne e colabore com um dia melhor para o planeta.

A reportagem foi publicada por Greenpeace Brasil, 13-06-2016.

A produção de proteína animal tem um efeito devastador sobre o meio ambiente. No Brasil, só a pecuária é responsável por pelo menos 60% do desmatamento da floresta amazônica e por boa parte das emissões dos gases de efeito estufa. É por isso que uma das formas mais eficientes de proteger o planeta é repensar os hábitos de consumo e reduzir a ingestão de alimentos de origem animal.

O Greenpeace está orgulhoso de fazer parte do Dia Mundial Sem Carne, que acontece hoje, 13 de junho. O objetivo é alertar sobre o impacto gerado pela produção de carne em nosso planeta e aumentar o conhecimento das pessoas sobre o consumo responsável.

Imagine só: no Brasil, a produção de apenas 1 kg de carne bovina exige mais de 165 m2 de pasto. Isso equivale a mais de 6.500 m2 de terras por ano para cada brasileiro apenas para a produção de carne bovina – que é quase um campo de futebol!

A ideia desta data é que cada um fique sem comer carne por um dia inteiro e reflita sobre tudo o que ela causa no mundo.

Dá uma olhada nesses impactos:

• Ficar apenas um dia sem comer carne é o mesmo que poupar água suficiente para o uso diário de nove pessoas.
• Segundo a ONU, em 2050 o planeta terá nove bilhões de habitantes. Se quisermos responder a essa demanda por carne seguindo os mesmo padrões de consumo atual o resultado será a destruição total das florestas da água e do solo pelo avanço da pecuária.
• Comer menos carne significa também colaborar com a proteção da Amazônia, já que a pecuária ainda é o principal motivo de desmatamento.
• Quanto mais carne se come, maior é a expansão da produção de soja e milho, responsável por 55% dos agrotóxicos aplicados no Brasil e voltada principalmente para a exportação e alimentação animal.

Agora imagina o impacto positivo se milhões de pessoas ao redor do mundo aderirem ao Dia Mundial Sem Carne!

Para saber mais e se informar sobre outros impactos da produção de carne, acesse o site Carne ao Molho Madeira, campanha do Greenpeace que já fez duas grandes redes de supermercado assinarem um termo garantindo a comercialização de carne bovina livre de desmatamento e trabalho escravo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um dia sem carne, um dia para repensar o consumo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV