LCWR elege novas líderes

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Foto de um pai e sua filha afogados na fronteira mexicana ilustra drama migratório

    LER MAIS
  • Centro Âncora: uma iniciativa para o cuidado de presbíteros e religiosos

    LER MAIS
  • Secretário do Cimi denuncia governo Bolsonaro em sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Agosto 2014

O maior grupo de religiosas dos Estados Unidos deu as boas-vindas a uma nova líder e disse adeus a outra na sexta-feira.

A reportagem é de Dan Stockman e Dawn Cherie Araujo, publicada por National Catholic Reporter, 15-08-2014. A tradução é de Claudia Sbardelotto.

A Conferência de Liderança de Mulheres Religiosas (LCWR - Leadership Conference of Women Religious) realizou a transferência de sua liderança na sexta-feira com a posse da Ir. Marcia Allen, da Congregação das Irmãs de São José, como presidente eleita. Allen era a única candidata para a posição.

A LCWR, formada por religiosas católicas, líderes de suas ordens nos Estados Unidos, usa um estilo de liderança único, com três representantes atuais: uma presidente, uma presidente eleita e uma ex-presidente. Todas as três participam das decisões.

"Estamos extremamente gratas a você, Marcia Allen, por responder ao chamado", disse a Ir. Janet Mock, das Irmãs de São José, diretora-executiva da LCWR. "Seja bem-vinda à presidência".

Allen vai se unir à Irmã Sharon Holland, das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, que será a presidente este ano, e à Irmã Carol Zinn, das Irmãs de São José que passa de presidente a ex-presidente.

A irmã franciscana Florence Deacon deixa o cargo de ex-presidente já que o seu mandato de três anos terminou.

Allen é a superiora das Irmãs de São José de Concordia no Estado do Kansas. Ela tem um doutorado em espiritualidade, um mestrado em administração e faz parte da equipe da Casa de Oração Manna em Concórdia desde 1995.

Holland, que se tornou presidente na sexta-feira, é canonista com diplomas da Universidade de Georgetown e atuou por 21 anos na Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, onde ela era uma das mulheres de mais alto escalão do Vaticano.

"Obrigado por tudo que você já fez para a LCWR e tudo o que você vai fazer no futuro", disse Mock.

Zinn, que deixa o cargo de presidente para ser presidente passada, tem um doutorado em desenvolvimento curricular e fundamentos de ensino e um mestrado em teologia. Ela foi pesquisadora da Episcopal Divinity School e da Universidade de Harvard no campo de liderança e transformação.

A irmã franciscana Mary Beth Gianoli foi nomeada como secretária da LCWR.

A LCWR representa cerca de 80 por cento das 51.600 mulheres religiosas nos Estados Unidos. Ela foi submetida a uma avaliação doutrinal do Vaticano ordenada em 2009.

Após a investigação, em 2012, a Congregação para a Doutrina da Fé, ordenou à LCWR para reformar os seus estatutos e nomeou o arcebispo de Seatle, J. Peter Sartain, para supervisionar as mudanças. Após esta reunião, Sartain necessitará aprovar os próximos oradores dos eventos promovidos pelo grupo, de acordo com a Congregação para a Doutrina da Fé.

Sartain participou de cada uma das sessões públicas da LCWR durante sua assembleia que durou quatro dias. Os trabalhos aconteceram como de costume, incluindo a presença de palestrantes de alto perfil que falaram sem rodeios, enquanto Sartain ouvia atentamente na primeira fila de mesas, inclusive as funções burocráticas e mundanas, como a adoção de um plano estratégico. A avaliação doutrinal foi discutida em sessões fechadas e foi referida várias vezes pelos palestrantes, mas não mudou o tom da assembleia.

"A assembleia tem atividades que precisam ser feitas", disse a porta-voz da LCWR, Irmã Annmarie Sanders, da Congragação do Imaculado Coração de Maria. "Nós fornecemos formação para as participantes, oferecemos uma oportunidade de interagir, damos a elas uma chance de olhar para questões prementes do mundo e elegemos nossas representantes".

Embora Sartain tenha dito que ele e a LCWR tem um acordo para só falar entre si sobre a avaliação doutrinal, ele disse ao NCR que sempre fica impressionado com a relação calorosa e pessoal que sente em cada um das assembleias que frequenta.

"Estou muito satisfeito com a acolhida gentil que recebi", disse Sartain. "É realmente um prazer conhecer as irmãs individualmente e aprender mais sobre cada uma de suas comunidades. E eu fico sempre impressionado com a quantidade de irmãs que conheci pessoalmente ao longo de meus anos no ministério - é ótimo ser capaz de vê-las novamente, acompanhá-las e saber o que estão fazendo".

Cerca de 750 dos 1.400 membros da LCWR estiveram em Nashville na semana passada.

Na sexta-feira de manhã, a Ir. Nancy Schreck, irmã franciscana e ex-presidente da LCWR, encerrou seu discurso falando sobre liderança e a necessidade de conectar-se com a tristeza dos outros.

"É fundamental que nós, como líderes, mergulhemos na realidade dos corações contritos", disse Schreck. "Precisamos fazer a conexão entre o desgosto individual e o coração partido do mundo".

Outros podem não entender isso, disse ela, referindo-se às observações que tinham feito anteriormente, mas ainda é a coisa certa a fazer. Ela, então, recebeu aplausos calorosos ao citar Friedrich Nietzsche: "Aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não conseguiam ouvir a música".

À medida que a assembleia chegava ao fim na sexta-feira, as irmãs estavam se sentindo enraizadas e fortes. Muitas delas disseram que se sentiam mais conectadas umas às outras e "empoderadas" com essa conexão.

"Nós escutamos umas às outras, nós rezamos, refletimos, nós rimos", disse a Ir. Kathleen Phelan, dominicana de Sinsinawa, Wisconsin. "Ficamos profundamente tocadas, mas eu acho que nós estamos determinadas como religiosas nos Estados Unidos a permanecer unidas para avançar".

Avançar foi uma marca dos discursos que Zinn e Schreck deram no início da semana, e foi um tema que Schreck reiterou em seu segundo discurso de sexta-feira, que repercutiu entre os membros da LCWR.

"As irmãs Carol Zinn e Nancy Schreck", disse uma irmã franciscana, inclinando-se, sua voz se tornando mais destacada, "elas não desperdiçaram uma palavra".

Zinn e Schreck pareciam ser as favoritas unânimes da semana.

A Ir. Joan Mumauw, da Congregação do Coração Imaculado de Maria de Monroe, Michigan, disse que os discursos de Zinn e Schreck estiveram entre os destaques da semana para ela, e que eles deixaram-na positiva e esperançosa.

"Eu acho que nós estamos unidas como religiosas", disse ela, "e eu acho que isso é inspirador".

"Apreciei muito a apresentação de Nancy Schreck", disse Carol Regan, irmã e diretora associada da Religious Formation Conference [Conferência de Formadores Religiosos]. "Eu acho que foi uma visão magistral de nossa realidade de hoje, e achei que foi muito encorajador".

Encorajador, sim, mas também exigente, disse a Irmã Mary Johnstone, vigária das dominicanas de Sinsinawa.

"Com certeza, vou levar comigo alguns dos desafios que nos foram apresentados", disse ela, "O chamado a sermos líderes - para realmente olhar para isso com uma postura contemplativa - a ser presença para aqueles que estão marginalizados".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

LCWR elege novas líderes - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV