Descontentamento de manifestantes se volta para a Fifa

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco propõe um sistema econômico mais justo e sustentável

    LER MAIS
  • Em busca da funda de Davi. Uma análise estratégica da conjuntura

    LER MAIS
  • Por que Tagle é o novo “herói papal” do Oriente

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Junho 2013

Em São Paulo, 35 mil pessoas protestavam na avenida Paulista, no sábado (22), para a corrupção e o custo exorbitante da organização da Copa do Mundo de 2014. Vestidas com as cores nacionais, elas marchavam em um clima festivo, entre cantos, passos da dança e rojões.

Ao mesmo tempo, os bares da avenida transmitiam em um telão a partida entre a seleção nacional contra a Itália. Telespectadores com a camisa brasileira acompanhavam a vitória de sua equipe, saudando cada gol --a partida terminou com uma vitória do Brasil (4 a 2)-- com gritos de alegria que se misturavam às palavras de ordem dos manifestantes. Era impossível distinguir os dois lados, e com razão: muitas vezes eram os mesmos.

A reportagem é de Benoît Hopquin, publicada no jornal Le Monde e reproduzida pelo Portal Uol, 25-06-2013.

Os moradores da capital econômica do Brasil são como todo o resto do país, divididos entre o amor pelo futebol e a repulsa diante de seus abusos financeiros: segundo uma pesquisa, 75% dos brasileiros apoiam as manifestações e 67% aprovam a vinda da Copa do Mundo.

Os brasileiros estão chocados sobretudo com a condescendência da Federação Internacional de Futebol (FIFA). Joseph Blatter, seu presidente, zombou dos manifestantes em uma entrevista ao jornal "Estado de São Paulo": "O futebol é mais forte que a insatisfação das pessoas". "Isso vai se acalmar", ele concluiu, não sem desdém.

Essas declarações vieram após as tiradas de Jérôme Valcke, secretário-geral da FIFA, que havia declarado que os brasileiros deveriam se dar "um chute no traseiro" se quisessem estar prontos a tempo. Ao mesmo tempo, o francês elogiou a Rússia de Vladimir Putin, responsável pela edição de 2018, e tirou a seguinte conclusão: "Às vezes menos democracia é preferível para organizar uma Copa do Mundo". Os decretos da Federação para obter uma exoneração de impostos ou para que fosse retirada a lei que proibia bebidas alcoólicas nos estádios, com o intuito de satisfazer uma cervejaria patrocinadora, contribuíram para a irritação.

"Falta de escrúpulos"

A FIFA foi alvo de chacota dos manifestantes e dois de seus veículos foram incendiados. Após tantas gafes, os caciques do futebol voltaram atrás em um comunicado, fazendo um mea culpa: "Nós apoiamos e reconhecemos o direito à liberdade de expressão e de manifestação pacífica".

O debate sobre a fatura da Copa do Mundo, que poderá chegar a € 11 bilhões, divide até os antigos astros do esporte nacional. O "rei" Pelé havia criticado as manifestações, antes de se desculpar. Rivaldo, campeão mundial de 2002, acreditou que era "uma vergonha gastar tanto dinheiro nessa Copa do Mundo e deixar os hospitais e as escolas em condições precárias".

Dois outros campeões mundiais, Romário e Ronaldo, se atacaram através da mídia. O primeiro, que se tornou deputado de um partido de esquerda, criticou a FIFA, sua "falta de respeito e sua falta de escrúpulos". O segundo, que é membro do comitê de organização, o tachou de oportunista. Há pouco tempo uma afirmação de Ronaldo ficou famosa: "Não se faz uma Copa do Mundo com hospitais". Uma gafe pela qual ele teve de se desculpar.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Descontentamento de manifestantes se volta para a Fifa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV