Presidente da Rússia, Vladimir Putin, não participará da conferência

Revista ihu on-line

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

A volta do fascismo e a intolerância como fundamento político

Edição: 490

Leia mais

Maria de Magdala. Apóstola dos Apóstolos

Edição: 489

Leia mais

Mais Lidos

  • Arquivos da ditadura ao alcance do público, na Unisinos

    LER MAIS
  • Segunda maior rede de supermercados do Brasil deixará de vender carne de fornecedor que desmata

    LER MAIS
  • Teilhard de Chardin, um homem extremamente contemporâneo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

14 Junho 2012

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, que até então vinha sendo considerado uma das poucas presenças de peso na Rio+20, não virá para a conferência. Segundo a Folha apurou, a delegação do país será chefiada pelo primeiro-ministro, Dmitri Medvedev.

A reportagem é de Isabel Fleck e publicada por Folha Online, 13-06-2012.

Com isso, o Brasil não contará com a presença de mais um importante chefe de Estado dos Brics, já que a China será representada também pelo premiê Wen Jiabao.

O governo brasileiro não tem divulgado os nomes dos chefes de Estado que confirmaram presença no evento, mas diz que são 101 os que já indicaram que virão. O número divulgado na última semana era de 115.

Anteontem, o governo americano confirmou que o país será representado pela secretária de Estado, Hillary Clinton, o que descarta a vinda do presidente Barack Obama. A chanceler (premiê) alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, também não estarão presentes.

O Itamaraty, contudo, minimiza as ausências. "Para nós, o que importa são os 190 países representados", disse o porta-voz do ministério, Tovar Nunes.

Ainda entre os Brics, a delegação da Índia será liderada pelo primeiro-ministro, Manmohan Singh, e a da África do Sul, pelo presidente Jacob Zuma.

Os nomes mais esperados agora são o do presidente francês, François Hollande, e do iraniano Mahmoud Ahmadinejad.