Condenados os assassinos do padre Longueville, morto durante a ditadura militar argentina

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Irmã Dulce, símbolo de um Brasil que está se esquecendo dos pobres. Artigo de Juan Arias

    LER MAIS
  • Aos 15 anos da morte do filósofo francês Jacques Derrida, o último subversivo

    LER MAIS
  • “A ética do cuidado é um contrapeso ao neoliberalismo”. Entrevista com Helen Kohlen

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 12 Dezembro 2012

Os dois sacerdotes [Carlos Murias e Gabriel Longueville] foram sequestrados no dia 18 de julho de 1976 por repressores que se identificaram como policiais e um dia depois seus corpos sem vida, com lesões causadas por torturas, foram encontrados.

A reportagem está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 10-12-2012. A tradução é do Cepat.

A França saúda a condenação à prisão perpétua dos responsáveis pelo assassinato do sacerdote francês Gabriel Longueville, perpetrado durante a ditadura militar argentina, declarou, na segunda-feira, o porta-voz do ministério francês de Relações Exteriores, Philippe Lalliot.

Esta decisão “ilustra novamente a determinação da Argentina de fazer justiça às vítimas da ditadura e aos seus familiares, e sua vontade de levar a cabo o trabalho de memória iniciado a partir da anulação das leis de anistia, em 2003”, disse o porta-voz.

A justiça argentina condenou, na sexta-feira passada, à prisão perpétua dos ex-militares e um ex-policial pela morte de dois sacerdotes, Carlos Murias e o francês Gabriel Longueville, que era pároco na Província de La Rioja.

“A França congratula-se pela excelente cooperação” com a Argentina “na luta contra a impunidade e na defesa dos direitos humanos, assinalou Lalliot, recordando que “esta ação comum levou, entre outras medidas, à adoção da Convenção para a Proteção de Todas as Pessoas Contra os Desaparecimentos Forçados, assinada em Paris em janeiro de 2007 e vigente desde dezembro de 2010”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Condenados os assassinos do padre Longueville, morto durante a ditadura militar argentina - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV