Bispo jesuíta, ex-presidente da Conferência Episcopal, critica postura dos bispos no caso PUC do Peru

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • 23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores

    LER MAIS
  • Cisma: uma noção que mudou ao longo dos séculos. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Agosto 2012

Em uma carta dirigida ao presidente da Conferência Episcopal Peruana (CEP), Salvador Piñeiro, o bispo emérito de Chimbote e ex-presidente do Episcopado do Peru, Luis Bambarén (foto), jesuíta, criticou o respaldo dos bispos ao cardeal Luis Cipriani na disputa com a Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP).

A reportagem é do sítio Religión Digital, 23-08-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto

"Você não só fizeram causa comum com o arcebispo de Lima, mas também assumiram o seu problema e os seus interesses como próprios da Conferência Episcopal do Peru (CEP)", diz Bambarén. Ele acrescenta que fatos como esse fazem com que "os fiéis se sintam decepcionado com os seus bispos".

Mediante um comunicado, a CEP respaldou Cipriani perante "as infundadas acusações e insultos que recebeu" e exortou que "as autoridades da Católica acolham as disposições do Papa Bento XVI e façam adequações nos estatutos universitários à Constituição Apostólica Ex Corde Ecclesiae".

Para Bambarén, com essa "submissão" da CEP, um problema local entre Cipriani e a PUCP passou a ser da Igreja. Ele disse que os bispos agiram como legisladores e não como pastores de Cristo.

Eis a carta.

Lima, 15 de agosto de 2012

Excelentíssimo Monsenhor
Salvador Piñeiro García-Calderón
Presidente da Conferência Episcopal

Muito apreciado Irmão e Amigo:

Estando em Pariacoto entre os dias 7 e 10 agosto para a celebração do 21º Aniversário do Martírio de nossos Missionários Franciscanos Conventuais Miguel e Zbigniew, tivemos uma profunda tristeza ao saber do lamentável comunicado do Conselho Permanente.

Não só é lamentável e penoso em seu conteúdo, mas também nos dói pelo dano que é causado a milhares e milhares de jovens e fiéis que se sentem decepcionados com os seus Bispos e afetados em sua pertença à Igreja. Vocês não só fizeram causa comum com o arcebispo de Lima, mas também assumiram o seu problema e os interesses como próprios da CEP.

Não valorizaram o dano que já feito a uma numerosa porção do rebanho do Senhor, que se sentem hoje como "ovelhas sem pastor".

Obediência e fidelidade plena ao Vigário de Cristo e à nossa Igreja, SIM. Eu daria a vida por isso! Mas fidelidade ao Grão-Chanceler e submissão de toda a nossa Conferência à sua condução no caso da PUCP, NÃO.

Repito: o que era um problema local entre o arcebispo e a PUCP passou a ser da Igreja, que antes foi marginalizada e agora é instrumentalizada em dano do povo de Deus. Estamos perdendo a melhor universidade do Peru.

Vocês reduzem o caso ao âmbito canônico e legal, mas se esquecem da sua repercussão pastoral. NÃO SOMOS LEGISLADORES, MAS SIM PASTORES. Grande responsabilidade!

Muitos de nós se perguntam: era necessário o "comunicado"? Não teria sido melhor e suficiente uma reunião da Presidência da CEP com a Reitoria da PUCP?

Nossas comunidades e paróquias estão sangrando não só isso, mas também porque muitos sacerdotes perderam o zelo apostólico, se instalam em seus escritórios com horários de expediente, mas estão longe do povo de Deus. Em troca, as seitas estão ativas, vão de casa em casa roubando as ovelhas de Jesus. Cresce a indiferença religiosa. Os jovens se afastam. Cada dia são menos os que frequentam em suas paróquias a Missa dominical etc, etc. Conheço paróquias em que 50% deixaram a Igreja. Uma professora me contava que, no início do ano, pediu que de seus alunos levantassem o braço aqueles que eram católicos. De 28, só dois! Em muitos colégios, quase a metade das crianças e dos adolescentes já não são católicos.

Isso é prioritário e deve nos doer e nos preocupar, a nós, Bispos.

Parece que não se teve nada disso presente ao sopesar as repercussões pastorais do comunicado. Mais que a universidade, é a nossa Igreja que perde.

Que pena! Sinto-me decepcionado!

Peço-lhe para comunicar esta carta aos membros do Conselho Permanente e aos demais bispos. Esta carta não é RESERVADA, como sim foi a que eu enviei a Sua Eminência, o Sr. Cardeal Tarcisio Bertone.

Só me resta rezar, rezar, rezar.

Que Deus os perdoe, os ilumine e os acompanhe.

Irmão em Cristo Jesus,

Assinado no original
Luis A. Bambarén Gastelumendi S.J.
Bispo emérito de Chimbote

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispo jesuíta, ex-presidente da Conferência Episcopal, critica postura dos bispos no caso PUC do Peru - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV