“É impossível dialogar com as atuais autoridades da PUCP”, afirma Cipriani

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Líder indígena diz que “o Irmão Francisco” está arriscando sua vida pela Amazônia

    LER MAIS
  • O agrotóxico que matou 50 milhões de abelhas em Santa Catarina em um só mês

    LER MAIS
  • “Estamos diante de uma crise do modelo de civilização”. Entrevista com Donna Haraway

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 23 Agosto 2012

Em meio à polêmica envolvendo a não aceitação da Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP) de adequar seus estatutos à Constituição Apostólica Ex Corde Ecclesiae, o arcebispo de Lima, cardeal Juan Luis Cipriani, considerou que se tornou “impossível” continuar dialogando com as autoridades da universidade.

A reportagem está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 21-08-2012. A tradução é do Cepat.

“É muito forte dizê-lo, mas creio que as atuais autoridades tornam muito difícil, senão impossível (o diálogo), depois dos insultos e erros que cometeram ao maltratar o secretário de Estado, que é o homem de confiança do Papa, e ao ter insultado o cardeal por gosto”, disse.

Consultado, além disso, sobre a possibilidade de nomear um reitor interino para baixar o tom do conflito entre a universidade e a Igreja, Cipriani deixou a decisão nas mãos dos “ex-alunos, antigos professores e estudantes que querem que sua universidade continue funcionando”.

“Creio que essas atitudes tornam impossível continuar dialogando com estas pessoas, e creio que isso (a decisão) está nas mãos não dos rapazes que fazem política, mas da grande família da Universidade Católica”, disse.

“A Igreja quer aproximar todos os alunos da fé católica respeitando até o último (...) A proposta da educação católica não é um atentado à autonomia. Creio que se produziu um enfrentamento inútil por parte das atuais autoridades que não souberam administrar a situação. Faço um apelo ao senso comum dos alunos, não ao diálogo, mas à obediência”, sustentou.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“É impossível dialogar com as atuais autoridades da PUCP”, afirma Cipriani - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV