A caminho de Paris

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O risco que eu estou correndo é cada vez maior, e a responsabilidade vocês sabem de quem é”, denuncia padre Júlio Lancellotti

    LER MAIS
  • A nova encíclica de Francisco nascida do diálogo com o Islã e do Covid. Artigo de Alberto Melloni

    LER MAIS
  • Padre Julio Lancellotti recebe novas ameaças após ataques virtuais de deputado

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


31 Outubro 2014

A Conferência do Clima das Nações Unidas que acontecerá em Paris (COP-21), em 2015, pode ser um marco, mas não podemos marcar bobeira. O acordo a ser assinado em dezembro de 2015 substituirá o Protocolo de Kyoto, e é visto por muitos como o grande passo para uma transformação climática no mundo todo. Entretanto, é importante entender que o caminho para chegar ao novo acordo é de extrema importância. Não basta chegar a uma conclusão, o modo como ela será elaborada é o que realmente importa.

A reportagem é de Luciano Dantas, publicada no site Greenpeace, 30-10-2014.

A disposição dos governos para participar de uma forma séria e significativa é crucial. Para incentivar a participação, os negociadores optaram por uma abordagem mais livre, em que os governos passaram a formular as suas próprias metas, apresentando-as como promessa. Em um cenário ideal, a soma das metas dos países será justa e suficiente para manter o aumento da temperatura global abaixo de 2°C, limite máximo para evitar maiores catástrofes climáticas.

“A verdade é que os governos ainda não se esforçaram o suficiente ou sequer tentaram se organizar e refletir para encontrar o melhor caminho para alcançar a meta global de manter o aquecimento abaixo do limite de 2°C”, afirma Jeffrey Sachs, diretor do Instituto Terra (Earth Institute, em inglês) da Universidade de Columbia, e da Rede de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Diante dos atuais posicionamentos dos países, é temível que os líderes políticos não cheguem a um acordo de real eficiência. Isso faria com que toda a expectativa em cima da COP-21 caísse por terra e deixasse um gosto de decepção em todos. O acordo entrará em vigor em 2020 e representa uma oportunidade muito importante para que os governos de todo o mundo trabalhem juntos e passem a agir para combater o aquecimento global.

Se os governos nacionais não conseguirem intensificar seu engajamento e aumentar suas ambições até Paris, o mundo pode estar caminhando para um aumento de temperatura superior a 4°C até 2100, levando o planeta para um quadro perigoso e irreversível. Por isso, é fundamental que os líderes reconheçam a importância de criar políticas públicas nacionais antes da COP-21.

Compromissos nacionais à parte, a estrutura do acordo a ser assinado na Conferência será muito importante, e uma forma de fortalecer o objetivo é criação de prêmios e de benefícios especiais aos “principais atores”. Ou seja, a criação de metas ambiciosas, além de trazer os benefícios óbvios da redução do aquecimento global, também poderia ser revertida em vantagens para outras ações.

“Entre os países do G-20, o Brasil é o que possui mais riquezas naturais. Isso mostra como podemos e devemos assumir um papel de protagonismo na elaboração do próximo acordo pelo clima”, afirma Barbara Rubim, campaigner de Clima e Energia do Greenpeace Brasil.

Não devemos esperar Paris para resolver este problema; temos de elevar o envolvimento coletivo e bradar nossas vozes para exigir medidas decisivas bem antes da COP-21 – e além – porque independente do que ocorrer em Paris, o planeta grita por transformação climática e energética.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A caminho de Paris - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV