Abusos: “A denúncia é necessária. Quem fez isso contra um menor agrediu a Cristo”, afirma Francisco

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • O Evangelho de Lucas, “ano C”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Setembro 2020

O Papa Francisco encoraja a denunciar os abusos sexuais. Sem especificar se a denúncia deve ser feita perante os tribunais diocesanos ou perante a polícia, ou aos dois, o pontífice reitera mais uma vez que a omissão deve ser rompida.

A reportagem é de Franca Giansoldati, publicada por Il Messaggero, 06-09-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

“A denúncia necessária sempre deve ser acompanhada de um anúncio que será bom que todos escutemos: ‘Asseguro-te que, cada vez que fizeste isso ao menor dos meus irmãos, foi a mim que o fizeste!’’”, afirmou ele, citando o Evangelho de Mateus, no prefácio que assinou a um livro intitulado “Teologia e prevenção”, um estudo teológico interdisciplinar aprofundado sobre a prevenção dos abusos na Igreja, coordenado pelo Conselho Latino-Americano do Centro de Pesquisa e Formação Interdisciplinar para a Proteção dos Menores (Ceprome), da Pontifícia Universidade do México.

Trata-se de um texto articulado que reúne diversos conteúdos assinados por psicólogos, sacerdotes, especialistas, que, do ponto de vista teológico, convidam a aprofundar “este doloroso mal do abuso sexual que ocorreu na nossa Igreja Católica”, escreve Bergoglio. O texto também deve ser traduzido para o italiano.

“Neste último tempo eclesial, tivemos o desafio de olhar para esse conflito com a cabeça erguida, de assumi-lo e sofrê-lo junto com as vítimas, suas famílias e toda a comunidade para encontrar formas que nos falam dizer: nunca mais à cultura do abuso. Essa realidade nos obriga a trabalhar na conscientização, prevenção e promoção da cultura do cuidado e proteção nas nossas comunidades e na sociedade em geral, para que ninguém possa ver violada ou abusada a sua integridade e dignidade. Lutar contra o abuso significa promover e empoderar comunidades capazes de velar e anunciar que toda vida merece ser respeitada e valorizada, especialmente a dos mais indefesos, que não têm os recursos para fazerem ouvir a sua voz.”

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Abusos: “A denúncia é necessária. Quem fez isso contra um menor agrediu a Cristo”, afirma Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV