Clericalismo e riqueza impedem de conhecer Cristo, diz o papa

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desgaste do discurso evangélico

    LER MAIS
  • Outro papa. Ratzinger, sua renúncia e o confronto com Bergoglio

    LER MAIS
  • ‘Eu serei sempre minoria’, diz padre Júlio sobre sua vocação em ajudar pobres e oprimidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


06 Mai 2020

Assim como aqueles que não reconheceram a divindade de Jesus, os cristãos podem ser vítimas de “atitudes preconceituosas” que, em última instância, acabam se tornando obstáculos para a fé, disse o Papa Francisco.

A reportagem é de Junno Arocho Esteves, publicada por Catholic News Service, 05-05-2020. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

O clericalismo, a rigidez e o apego à riqueza podem escravizar os cristãos e impedir-lhes de conhecer plenamente Jesus, afirmou o papa em sua homilia de 5 de maio durante uma celebração matutina na capela de sua residência, a Casa Santa Marta.

O ponto comum destes impedimentos é que “não há liberdade. E não se pode seguir Jesus sem liberdade”, disse.

O papa começou a transmissão ao vivo da celebração rezando pelos que morreram de Covid-19.

Faleceram sozinhas, sem a carícia dos seus entes queridos, e muitas nem sequer tiveram o funeral. Que o Senhor as receba na glória”, completou o papa.

Na homilia, ele refletiu sobre as leituras do Evangelho do dia, extraídas e São João, nas quais os judeus pedem que Jesus confirme que ele é o Messias.

“Já vo-lo disse, mas não credes (…) não credes porque não sois das minhas ovelhas”, Jesus respondeu.

Entre os obstáculos que impedem as pessoas de verdadeiramente conhecer Jesus está a riqueza, evidenciada pela asserção de Jesus de que “era mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino dos Céus”, disse Francisco.

“A riqueza é um impedimento para ir em frente. Mas será necessário cair no pauperismo? Não! Mas não sejamos escravos da riqueza, não vivamos para a riqueza, pois a riqueza é um senhor, é o senhor deste mundo e não podemos servir a dois senhores. As riquezas aprisionam-nos!”, completou.

Uma rigidez do coração que busca uma interpretação estrita da lei, continuou o papa, é um outro impedimento. Enquanto a fidelidade a Deus é um dom, “a rigidez é uma segurança para mim”.

O pontífice lembrou da conversa que teve com uma senhora que temia estar em pecado mortal por não ter ido à missa de domingo após participar de uma celebração de casamento no sábado de noite.

Embora reconhecendo que a “senhora bondosa” pertencia a um movimento eclesial, o papa disse que esta sua rigidez a afastava da liberdade e da “sabedoria de Jesus”.

“Muitos pastores fazem crescer esta rigidez na alma dos fiéis, e esta rigidez não nos deixa entrar pela porta de Jesus. Será mais importante observar a lei tal como está escrita, ou como eu a interpreto, que é a liberdade de ir em frente seguindo Jesus?”, perguntou.

O clericalismo, especialmente na Igreja Católica, “é uma doença” que “tira a liberdade de fé dos crentes”, acrescentou o papa.

“Estas são as causas que nos impedem de fazer parte das ovelhas de Jesus”, disse Francisco. “Que o Senhor nos ilumine para ver dentro de nós se existe a liberdade de passar pela porta, que é Jesus, e de ir além de Jesus para ser rebanho, para ser ovelhas do seu rebanho”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Clericalismo e riqueza impedem de conhecer Cristo, diz o papa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV