Mundo tem oportunidade histórica para impulsionar tecnologia verde

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nunca se viu no Brasil um governo tão abençoado pelas igrejas

    LER MAIS
  • Cardeal Hollerich “está aberto” ao sacerdócio das mulheres

    LER MAIS
  • "A REPAM é fazer conectar aquilo que é comum de todos". Entrevista com João Gutemberg Sampaio, novo secretário executivo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Mai 2020

Os esforços globais para minimizar as consequências econômicas da pandemia do coronavírus apresentam uma oportunidade histórica para ampliar as tecnologias necessárias para acelerar a transição para uma energia mais limpa, afirma o chefe do órgão mundial de vigilância energética.

A reportagem é de Matthew Green, publicada por National Catholic Reporter, 01-05-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Fatih Birol, diretor executivo da Agência Internacional de Energia (AIE), disse que o apoio dos governos pode impulsionar o rápido crescimento das tecnologias a bateria e de hidrogênio para ajudar o mundo a reduzir sua dependência dos combustíveis fósseis.

“Eu acredito que há uma oportunidade e eu a chamo de oportunidade histórica”, disse Birol, economista que assumiu o comando da AIE em Paris em 2015, à agência Reuters.

“O grande momento ainda está por vir, mas essas tecnologias precisam de um empurrão”, disse ele, acrescentando que os pacotes de estímulo econômico que estão sendo entregues em todo o mundo oferecem um veículo ideal para a mudança.

Após semanas de uma extraordinária turbulência nos mercados do petróleo, a AIE – criada para garantir um fornecimento constante de energia aos países industrializados após a crise do petróleo no início dos anos 1970 – emergiu como um dos principais proponentes das “recuperações verdes” pós-pandemia.

Birol quer que os governos ampliem o apoio a caminhos bem estabelecidos para reduzir as emissões de carbono, como adotar uma maior eficiência energética e expandir as energias renováveis para criar empregos e atender às metas climáticas.

Mas ele também quer que os governos considerem a oferta às tecnologias promissoras do tipo de subsídio e apoio político que ajudaram a impulsionar um crescimento espetacular da energia eólica e solar a partir de baixo na última década.

A capacidade solar instalada global aumentou de 40 gigawatts (GW) em 2010 para 580 GW em 2019, de acordo com a Agência Internacional de Energia Renovável, com sede em Abu Dhabi.

Birol destacou as baterias de íon de lítio e o uso de eletrólise para produzir hidrogênio a partir da água como duas tecnologias preparadas para uma rápida decolagem.

As baterias de íon de lítio podem ser usadas para uma ampla variedade de finalidades, desde o abastecimento de veículos elétricos até o armazenamento de energia gerada por usinas solares ou eólicas para garantir um suprimento constante de eletricidade à noite ou quando o vento não está soprando.

Políticas de dupla finalidade

Os eletrolisadores podem ser usados em produtos tão pequenos quanto eletrodomésticos, até unidades de tamanho industrial para usinas de energia. Eles podem criar hidrogênio a partir de fontes como a energia eólica ou nuclear, hidrogênio este que depois pode ser usado para o aquecimento ou o transporte.

“Até onde eu vejo, ninguém vê problema em impulsionar as tecnologias de energia limpa”, afirmou Birol. “Mas eles querem estar convencidos de que essas políticas que aceleram as transições de energia limpa também ajudariam na recuperação econômica”.

Embora sejam necessárias implementações das tecnologias mais limpas para atender à demanda de energia, os cientistas do clima dizem que o mundo também deve reverter os planos de expansão da produção de petróleo, gás e carvão para ter uma chance de evitar as mudanças climáticas catastróficas.

Birol alertou contra a categorização geral da indústria de petróleo e gás como “causadores de problemas”, dizendo que o petróleo ainda será usado nos próximos anos, e que o coronavírus enfatizou a importância dos produtos petroquímicos.

“Hoje a indústria petroquímica é uma das mais cruciais a nos ajudar com as máscaras que estamos usando ou com os desinfetantes que estamos usando”, disse ele.

No ano passado, os cientistas do clima, ativistas e o Grupo de Investidores Institucionais sobre Mudanças Climáticas, que inclui fundos de pensão e seguradoras que administram mais de 30 trilhões de euros (32,6 trilhões de dólares) em ativos, escreveram cartas à AIE pedindo que produzissem caminhos de descarbonização mais ambiciosos para aumentar o investimento favorável ao clima.

Birol disse que a AIE publicará uma edição especial do seu World Energy Outlook anual no dia 18 de junho para definir opções de políticas de criação de empregos verdes. A AIE também deve sediar uma Cúpula de Transições para a Energia Limpa no dia 9 de julho.

Hannah McKinnon, diretora do Programa de Transições e Futuros de Energia da Oil Change International, um grupo de pesquisa e defesa que tem criticado a modelagem de energia da AIE, disse que estava aguardando detalhes.

“A AIE tem agora uma oportunidade e uma responsabilidade de fechar a sua própria lacuna de credibilidade climática e estabelecer um caminho ambicioso, justo e verde para o futuro”, disse ela.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mundo tem oportunidade histórica para impulsionar tecnologia verde - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV