Como já defendido pela ONU, 250 cientistas confirmam a origem humana das mudanças climáticas. Não é uma fake news

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • A CNBB urge o governo a tomar “medidas sérias para salvar uma região determinante no equilíbrio ecológico do planeta”

    LER MAIS
  • Planeta em chamas. Artigo de Eliane Brum

    LER MAIS
  • 10 mapas e imagens de satélite internacionais que mostram a dimensão das queimadas no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Julho 2019

Chega de fake news sobre o clima. "O aquecimento global é de origem antrópica", afirma a carta, já assinada por 250 cientistas italianos, endereçada aos mais altos cargos do Estado, porque é urgente e fundamental enfrentar e resolver o problema das mudanças climáticas. É necessário agir rapidamente para reduzir drasticamente as emissões de gases estufa, atingindo a meta de zero de emissões líquidas até 2050 (ou seja, que o dióxido de carbono emitido pelas atividades humanas seja equivalente àquele que os ecossistemas são capazes de absorver).

A informação foi publicada por L'Osservatore Romano, 12/13-07-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

A carta, baseada em dezenas de milhares de estudos realizados em todos os países do mundo pelos cientistas mais credenciados que trabalham no tema da mudança climática, quer ser uma resposta ao documento, datado de 17 de junho, e assinado por um grupo formado quase exclusivamente por não-especialistas na ciência das mudanças climáticas, em que foi posta em discussão com argumentos superficiais e errôneos a ligação entre o aquecimento global da era pós-industrial e as emissões de gases de efeito estufa de origem antrópicas.

Inclusive o Secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou-se nos últimos dias sobre a origem antrópica das alterações climáticas e a sua estreita influência nos países mais pobres. "Os governos de todo o mundo tomaram uma série de iniciativas, mas as pessoas e os países mais vulneráveis continuam a sofrer mais", consta em seu pronunciamento no qual descreve a situação relativa à realização dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), em que todos os países do mundo se comprometem, até 2030, a pôr fim a toda forma de pobreza e a lutar contra as desigualdades e as alterações climáticas. "De acordo com as estimativas atuais - destacou Guterres - é mais provável que os muito pobres cheguem a 6%, ou seja, 420 milhões de seres humanos. Nesse sentido, os conflitos e os desastres naturais contribuem de maneira determinante". São particularmente preocupantes a situação na Síria e do Iêmen, países onde sangrentos conflitos vêm ocorrendo há anos. De acordo com a ONU, além disso, "os investimentos em combustíveis fósseis continuam sendo mais altos que aqueles sobre as atividades climáticas".

Sabe-se agora que a emergência climática não é a mesma para todos. As mudanças climáticas têm um impacto devastador sobre as populações e países mais vulneráveis e, portanto, contribuem para acentuar as desigualdades econômicas entre as nações ricas e aquelas pobres. Além disso, os países pobres são geralmente aqueles que são menos responsáveis pelas mudanças climáticas e aqueles mais dependentes da produção agrícola interna. Isso os coloca em uma condição de dependência muito estrita das condições meteorológicas e das variações do clima.

Em vista da Cop25 programada para dezembro em Santiago do Chile, o secretário da ONU convocou uma reunião sobre a emergência climática de 21 a 23 de setembro em Nova York com o tema: "Encontro de cúpula sobre a ação climática: uma corrida que podemos vencer. Uma corrida que devemos vencer”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Como já defendido pela ONU, 250 cientistas confirmam a origem humana das mudanças climáticas. Não é uma fake news - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV