No quarto ano da Laudato Si', jovens de todo o mundo convocam "greves globais pelo clima"

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Cenas de um filme de terror da vida real. Os 30 anos do massacre de Ignacio Ellacuría e seus companheiros

    LER MAIS
  • Aumento de mortalidade no país está diretamente ligado a corte de verbas no SUS

    LER MAIS
  • Papa Francisco quer incluir 'pecado ecológico' na doutrina oficial da Igreja, após Sínodo da Amazônia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Maio 2019

Jovens católicos lançam uma nova iniciativa para mobilizar ações contra as mudanças climáticas entre o 1,2 bilhão de membros da Igreja Católica. A iniciativa da Geração Laudato Si' promove a participação de jovens católicos nas greves globais por causa do clima, que se realizarão nesta sexta-feira, 24 de maio.

A reportagem é de Movimento Católico Mundial pelo Clima, publicada por Religión Digital, 24-05-2019. A tradução é do Cepat.

As greves de 24 de maio coincidem com o quarto aniversário da Laudato Si', a encíclica do Papa Francisco sobre mudança climática e ecologia. Muitas dessas greves foram organizadas e inspiradas no encontro do Papa Francisco com Greta Thunberg, a estudante sueca de 16 anos que convocou as primeiras greves. Em um vídeo gravado logo após a reunião, Thunberg reflete sobre sua conversa com o Papa Francisco e pede aos jovens que tomem medidas urgentes para solucionar a catástrofe climática.

A Geração Laudato Si' já conseguiu entregar um manifesto de ação sobre a mudança climática durante a Jornada Mundial da Juventude. O manifesto faz um chamado aos bispos e outros representantes da Igreja para que não demorem mais para aderir a prática da Laudato Si' e pede também aos líderes políticos que façam a transição para uma economia limpa. O manifesto foi aceito pelo cardeal Tagle, presidente da Cáritas Internacional, em nome da Igreja.

Fonte: Religión Digital

Os jovens católicos da geração Laudato Si' estão se apropriando de novos espaços em países que não tiveram uma forte presença de ativistas climáticos. As ações de 24 de maio serão realizadas em mais de 50 lugares, nos Estados Unidos, México, Caribe, América Central e do Sul, África Subsaariana e Sudeste Asiático. Essas regiões estão entre as mais afetadas pela crise climática, e são os jovens que terão que suportar as consequências de um mundo em chamas.

As ações das greves globais pelo clima assumem várias formas. Por exemplo, em Trindade e Tobago, estudantes de 20 escolas católicas apresentarão uma carta pedindo ao Arcebispo de Porto da Espanha para tomar medidas urgentes frente à mudança climática. O Núncio Apostólico da Santa Sé de Trindade e Tobago aceitará a carta.

Outro exemplo são os jovens dos Estados Unidos que realizarão um serviço de oração na Catedral St. James, em Seattle, e depois representarão simbolicamente uma "encenação de morte" em frente aos edifícios governamentais. Durante essa encenação, os jovens cairão no chão e permanecerão deitados sem se mexer. Esse é um gesto que quer transmitir as consequências da inação em relação à crise climática.

P. Joshtrom Kureethadam, coordenador do Departamento de Ecologia e Criação do Dicastério para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral da Santa Sé, disse: “Os jovens enfrentam um futuro incerto. O Papa Francisco se encontrou recentemente com Greta Thunberg e a encorajou a continuar a tomar medidas para proteger o nosso lar comum. Sexta-feira, 24 de maio, é o quarto aniversário do Laudato Si' e a próxima greve global pelo clima. Encorajamos os tomadores de decisão de todo o mundo a ouvir o chamado de jovens católicos pedindo mudanças urgentes nas políticas e metas ambiciosas que garantam um futuro de 1,5 grau”.

María Agustina Rodríguez Ortiz de Rozas, que está organizando uma greve pelo clima na Argentina, disse: "Outros são responsáveis por causar a crise climática, mas minha geração e aqueles que a seguem são os que terão que arcar com as consequências. Hoje dizemos chega. Estamos recuperando o nosso futuro, e isso é apenas o começo".

Tomás Insua, diretor executivo do Movimento Católico Mundial pelo Clima, disse: "Temos 11 curtos anos para reduzir as emissões pela metade ou mais. Desde o início de nossa fé, os profetas anunciaram a verdade com firmeza. Agora, aqueles que anunciam a verdade entre os jovens estão levantando suas vozes para as figuras de poder. Uma mudança está chegando, e a única coisa que os tomadores de decisão devem escolher é se querem ou não estar do lado certo da história".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

No quarto ano da Laudato Si', jovens de todo o mundo convocam "greves globais pelo clima" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV