Papa envia bênção a ativista mirim, mas não promete virar vegano durante a Quaresma

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Igreja Universal cria seu exército particular com "recrutamento" de PMs

    LER MAIS
  • A semana em que 47 povos indígenas brasileiros se uniram por um manifesto anti-genocídio

    LER MAIS
  • “Do fundo do nosso coração” é um “de profundis”. Ou seja, o Concílio Vaticano II não é opcional

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

08 Março 2019

Pelo que parece, uma dieta vegana não estará sobre a mesa do Papa Francisco nesta Quaresma.

A reportagem é de Brian Roewe, publicada em National Catholic Reporter, 06-03-2019. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Enquanto a temporada litúrgica de 40 dias começava no dia 6 de março com a Quarta-Feira de Cinzas, a ativista de 12 anos em defesa dos direitos dos animais, que havia desafiado Francisco a adotar um estilo de vida vegano durante a Quaresma – renunciando a alimentos e produtos de origem animal –, compartilhou uma carta que recebeu em nome do papa.

Ele agradeceu por ter lhe escrito. Encorajou a preocupação dela pelo cuidado com o planeta. Ofereceu a ela as suas orações. Mas se recusou a dizer qualquer coisa sobre a oferta dela.

Em visita ao Vaticano no dia 19 de fevereiro passado, Genesis Butler mostra a carta que escreveu ao Papa Francisco pedindo-lhe para adotar um estilo de vida vegano durante a Quaresma (Foto: Million Dollar Vegan)

“Sua Santidade, o Papa Francisco, recebeu a sua carta e me pediu para lhe agradecer”, diz uma carta datada de 22 de fevereiro do Mons. Paolo Borgia, da Secretaria de Estado do Vaticano, endereçada a Genesis Butler, a jovem ativista vegana e defensora dos direitos dos animais.

“Ele aprecia as preocupações pelo cuidado com o mundo, nossa casa comum, que levou você a escrever para ele. O Santo Padre se lembrará de você em suas orações e lhe envia a sua bênção.”

Em fevereiro, Butler, com a ajuda da organização sem fins lucrativos Million Dollar Vegan, estendeu o desafio vegano ao papa, oferecendo um milhão de dólares para uma instituição de caridade à sua escolha se ele aceitasse o desafio. A bisneta de Cesar Chavez, que se tornou vegana aos seis anos, apontou para a grande quantidade de emissões de gases causadores do efeito estufa que a agricultura animal produz, além de benefícios para a terra, a saúde e a segurança alimentar que podem acompanhar as dietas baseadas em vegetais.

Em uma postagem publicada no site da Million Dollar Vegan, Butler disse que ela ficou “verdadeiramente honrada” com a resposta e a bênção do papa, e pelo fato de ele a incluir em suas orações. “Para mim, isso significa mais do que eu posso expressar em palavras.”

Ela também fez mais um pedido: a oportunidade de compartilhar uma refeição vegana com ele em algum momento durante a Quaresma.

Matthew Glover, CEO da Million Dollar Vegan, também expressou sua gratidão pela resposta do papa e indicou pesquisas da Universidade de Oxford que mostraram que a adoção de uma dieta baseada em vegetais pode reduzir as emissões pessoais de gases do efeito estufa de 30% a 50%.

Genesis Butler mostra a carta de 22 de fevereiro que ela recebeu do Mons. Paolo Borgia, da Secretaria de Estado do Vaticano (Foto: Million Dollar Vegan)

Embora Francisco não modifique a sua dieta nesta Quaresma, outros católicos farão isso.

O Global Catholic Climate Movement assumiu como tema do seu programa quaresmal deste ano a frase “Comer simplesmente” [disponível aqui, em inglês]. Ele pede que os católicos acrescentem mais um dia além das sextas-feiras para jejuar de carne ou incorporar mais refeições à base de vegetais durante os 40 dias da Quaresma.

“Muitos de nós gostamos de carne e agradecemos às famílias de agricultores que tornam possíveis as nossas refeições”, diz em seu site a rede de mais de 650 organizações católicas. “Focar as nossas dietas em refeições à base de vegetais e saborear a carne como um prazer ocasional é uma maneira sustentável de viver na nossa casa comum.”

Reduzir o consumo de carne é um modo de “crescer em simplicidade” durante a Quaresma, acrescenta-se, que também pode causar um impacto positivo no planeta.

Cita-se um estudo da Universidade de Yale que constatou que 80% do desmatamento da Amazônia é provocado pela pecuária. Em alguns casos, a terra é retirada ilegalmente dos povos indígenas.

Outro estudo, publicado na revista Nature em novembro de 2014, encontrou emissões de gases estufa muito maiores devido à produção de carne em comparação com as frutas e vegetais, e constatou que a substituição de dietas à base de carne por dietas à base de frutos do mar, grãos e vegetais pode reduzir as emissões da agricultura, assim como levar a “benefícios substanciais à saúde”.

A adoção de uma dieta baseada em vegetais “aprofunda os nossos espíritos durante o tempo da Quaresma”, diz o Global Catholic Climate Movement em seu site, “quando encontramos simplicidade e humildade com Cristo. Também nos ajuda a habitar de modo sustentável a nossa casa comum, protegendo a criação e nos solidarizando com nossos irmãos e irmãs em todo o mundo”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa envia bênção a ativista mirim, mas não promete virar vegano durante a Quaresma - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV